i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Tragédia

Menina de 14 anos sobrevive a queda de avião

Voo que começou em Paris e fez escalas em Marselha e Sanaa, capital do Iêmen, levava 142 passageiros e 11 tripulantes

  • PorFolhapress, em São Paulo
  • 30/06/2009 21:03
Parentes de vítimas da queda do Airbus aguardam notícias, em Paris | Mehdi Fedouach/AFP
Parentes de vítimas da queda do Airbus aguardam notícias, em Paris| Foto: Mehdi Fedouach/AFP
  • Confira o trajeto do avião da Yemenia

Sanaa, Iêmen - Uma adolescente de 14 anos sobreviveu ao acidente com o avião Airbus modelo A310-300 do Iêmen, que caiu com 153 pessoas a bordo (142 passageiros e 11 tripulantes) na madrugada de ontem (horário local), no oceano Índico, por razões ainda não esclarecidas.

A aeronave, que partiu de Paris, realizou escalas em Marselha e na capital do Iêmen, Sanaa, e tinha como destino final as ilhas Comores, arquipélago que foi colônia francesa, localizado a 300 km da costa leste africana.

O vice-chefe do departamento de aviação civil do Iêmen, Mohammed Abdul Qader, disse que as caixas pretas do avião não foram encontradas e os ventos na região do acidente eram de 61 km por hora e que o avião estava aterrissando no meio da noite. "O tempo estava muito ruim", disse ele, acrescentando que as condições climáticas atrapalharam o resgate.

Até a noite de ontem, cinco corpos haviam sido resgatados no mar, segundo autoridades comorenses. A menina que sobreviveu foi hospitalizada na capital das ilhas Comores, Moroni, e passa bem. Ela não teve a nacionalidade divulgada.

A bordo do Airbus, pertencente à companhia Yemenia, estavam 66 franceses, 45 comorenses, seis iemenitas e pessoas de pelo menos outras cinco nacionalidades, de acordo com agências internacionais.

O avião que caiu havia sido excluído do espaço aéreo francês por apresentar "irregularidades em seus equipamentos’’ em inspeção realizada em 2007, segundo o ministro dos Transportes da França, Dominique Bussereau. A Yemenia, no entanto, não está na lista de companhias consideradas inseguras pela União Europeia.

Segundo o ministro dos Transportes do Iêmen, o avião passou por uma revisão completa em maio deste ano, que garantia a segurança dos voos. Uma equipe de franceses, comorenses e iemenitas investigará o acidente. Até agora, só se sabe que as condições meteorológicas enfrentadas pela aeronave eram "péssimas’’.

Voos no Brasil

O avião Airbus 310-300 da companhia aérea estatal do Iêmen Yemenia, que caiu no Oceano Indico com 153 pessoas, já voou no Brasil. Entre março e setembro de 1999, a aeronave fez parte da frota da companhia aérea brasileira Passaredo. Segundo a assessoria de imprensa da Passaredo, a aeronave foi depois repassada à BRA.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.