i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
barbárie

Milicianos estupram 127 mulheres no leste do Congo, diz entidade médica

Ataque aconteceu no início de maio. Grupo responsável pela violência não foi identificado

    • kinshasa
    • Reuters
    • 15/05/2015 12:06

    Homens armados estupraram 127 mulheres no início deste mês durante um ataque a uma cidade na província de Kivu do Sul, no leste da República Democrática do Congo, afirmou a entidade Médicos Sem Fronteiras (MSF) nesta quinta-feira (14).

    Cerca de 60 milicianos abusaram das mulheres durante um ataque em 1º de maio na cidade de Kikamba, na região de Shabunda, em Kivu do Sul, afirmou o MSF em comunicado, sem identificar o grupo armado responsável.

    Dezenas de grupos armados operam no leste do Congo, onde um conflito entre 1998 e 2003 matou milhões de pessoas, a maioria de fome e doenças. Ambas as forças estatais e rebeldes foram acusadas por grupos de direitos humanos de utilizar o estupro como arma de guerra.

    Em novembro, o general do Exército congolês, Jerome Kakwavu, tornou-se a autoridade de mais alto escalão a ser condenada por estupro por um tribunal militar no Congo enquanto era comandante rebelde no nordeste do Congo entre 2003 e 2005.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.