i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Racismo nos EUA

Mississippi vai tirar símbolo confederado de sua bandeira

    • Gazeta do Povo
    • 29/06/2020 08:59
    bandeira confederado
    bandeira do estado do Mississippi em frente ao Capitólio do Estado do Mississippi, em Jackson.| Foto: Rory Doyle/AFP

    Legisladores do estado americano do Mississippi aprovaram neste domingo (28) a retirada do símbolo confederado de sua bandeira, após pressão dos protestos contra o racismo nos Estados Unidos. Com apoio de democratas e republicanos, a decisão deve ser ratificada pelo governador Tate Reeves e, então, a bandeira atual deixará de ser oficial.

    Uma comissão vai desenhar uma nova bandeira, sem o emblema considerado racista e com a frase "Em Deus Nós Confiamos", a qual será colocada em votação em um referendo marcado para 3 de novembro, no mesmo dia das eleições gerais dos Estados Unidos.

    O presidente da Câmara de Deputados do Mississippi, o republicano Philip Gunn, disse que o símbolo confederado na bandeira do estado é ofensivo. O senador democrata John Horhn disse que, apesar de não ser uma solução para os problemas causados pelo passado racista do país, a remoção do emblema "é um grande passo no caminho que estamos dando para reconhecer a humanidade e a autoestima que Deus nos deu".

    Mississippi é o único estado americano que carrega em sua bandeira o símbolo da batalha dos Confederados, um quadrado vermelho marcado com um X azul com 13 estrelas brancas, que representavam os estados sulistas que eram contra a abolição da escravidão na Guerra Civil dos EUA. A bandeira estadual foi criada em 1894, em reação ao poder político que os afro-americanos conquistaram após a Guerra Civil. Algumas cidades e universidades públicas do Mississippi já não a hasteiam mais.

    Em um referendo realizado em 2001, o estado americano votou para manter a bandeira com o símbolo confederado.

    5 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 5 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

    • L

      LOURENÇO DE SOUZA

      ± 0 minutos

      Trocaram uma bandeira muito bonita por outra horrorosa.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

      • N

        Nico Gavelick

        ± 128 dias

        Ceder à turba ensandecida é coisa de gente covarde. Esses políticos não têm um pingo de coragem.

        Denunciar abuso

        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

        Qual é o problema nesse comentário?

        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

        Confira os Termos de Uso

        • M

          Maquiavel

          ± 128 dias

          Daqui a pouco a história será toda reescrita

          Denunciar abuso

          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

          Qual é o problema nesse comentário?

          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

          Confira os Termos de Uso

          • L

            Lore C . Valent

            ± 128 dias

            Se o nobre jornal não censurar meu comentário, fico pensando... por que não alardeiam o racismo reverso que ocorre hoje com os descendentes dos Bôeres, na África do Sul? Os brancos estão sofrendo atrocidades lá! Por que não falam do racismo que os negros sofrem na China, da escravidão na África, notícias que também li aqui? Francamente...

            Denunciar abuso

            A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

            Qual é o problema nesse comentário?

            Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

            Confira os Termos de Uso

            • S

              Saber é poder

              ± 128 dias

              Eu fico imaginando essa moda aqui, no rio Grande do Sul. Basicamente, toda a cultura gaúcha desapareceria da história.

              Denunciar abuso

              A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

              Qual é o problema nesse comentário?

              Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

              Confira os Termos de Uso

              Fim dos comentários.