José Mujica, seu cachorro e o famoso Fusca 1987 | Iván Franco/Efe
José Mujica, seu cachorro e o famoso Fusca 1987| Foto: Iván Franco/Efe

O presidente do Uruguai, José Mujica, rejeitou nesta sexta-feira (14) a proposta de US$ 1 milhão (cerca de R$ 2,6 milhões) feita por um xeque árabe por seu Fusca 1987 e garantiu que o veículo não está à venda.

Durante o discurso na emissora "M24", Mujica confirmou a veracidade da oferta, feita durante a cúpula de países do G77+China, realizada em junho na cidade de Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia. O líder uruguaio disse que ofenderia o grupo de amigos que o presenteou com o veículo se o vendesse.

O famoso Fusca azul foi comprado após uma "vaquinha" feita por companheiros de Mujica e de sua esposa, a senadora Lucía Topolansky. "Nunca poderíamos vendê-lo, pois ofenderíamos a esse punhado de amigos que se juntou para nos dar esse presente", afirmou. Mujica, que possui dois veículos do mesmo modelo, disse que ambos "vegetarão" nas garagens de sua fazenda enquanto ele e sua esposa estiverem vivos.

O presidente do Uruguai recebeu em setembro, durante um encontro diplomático, uma segunda oferta pelo famoso Fusca. Desta vez o comprador era o embaixador do México no país, Felipe Enríquez, que ofereceu 10 caminhonetes 4x4 em troca do automóvel, em perfeito estado de conservação e dirigido por Mujica nas ruas de Montevidéu.

"Surpreendeu-me um pouco tudo isso e a princípio duvidei e não dei tanta importância. Mas depois me chegou outra proposta e comecei a levar um pouco mais a sério", disse Mujica à imprensa local. Na declaração jurada de bens que deve ser realizada periodicamente pelos presidentes uruguaios, Mujica avaliou seu Fusca 1987 em 70 mil pesos (cerca de R$ 7,3 mil).

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]