Falta de chuva permitiu que turistas chegassem à praia de Ostional, na Costa Rica, e sua presença afastou muitas tartarugas. | Sindicato de Trabajadores de Minae/
Falta de chuva permitiu que turistas chegassem à praia de Ostional, na Costa Rica, e sua presença afastou muitas tartarugas.| Foto: Sindicato de Trabajadores de Minae/

Os turistas tomaram a praia de Ostional, no litoral do Pacífico da Costa Rica, para assistir a centenas de milhares de tartarugas-oliva saírem do mar para botar seus ovos na areia.

As tartarugas não queriam companhia. Assustadas com os milhares de turistas tirando selfies e colocando seus filhos montados em suas costas, os répteis simplesmente voltaram para a água.

“Foi uma confusão”, disse a guia turística Yamileth Baltodano.

O acontecimento durante a primeira semana de setembro foi um caso isolado, quando uma confluência de fatores permitiu que o inesperado ocorresse. Mas foi uma lição para os ambientalistas encarregados de proteger as tartarugas. Agora, autoridades da Costa Rica estão lutando para se certificar de que o fato não volte a acontecer.

“Estamos reavaliando a forma como trabalhamos e a maneira com que abordamos a questão”, disse Mauricio Méndez, diretor-adjunto da Área de Conservação Tempisque, que inclui a praia de Ostional.

A temporada de desova da tartaruga-oliva, de agosto a outubro, coincide com a estação chuvosa da Costa Rica, que normalmente oferece uma barreira natural que protege as tartarugas. Durante esse tempo, a praia fica isolada com a enchente do Rio Nosara, que bloqueia o acesso pelas pontes. Mesmo na estação da seca, a praia é acessível somente com veículos 4X4 conduzidos por um guia local.

Mas este ano, os baixos índices pluviométricos provocados pelo El Niño deixaram o rio seco, facilitando o acesso à praia.

Méndez disse que os funcionários planejam mudanças para antes da próxima desova, esperada para o dia 4 de outubro. Ele quer duplicar o número de policiais e guardas de segurança e até mesmo trazer a guarda costeira.

Os grupos só poderão chegar lá com guias e ficarão restritos às extremidades da área de desova.

Apesar da comoção, as tartarugas conseguiram botar alguns ovos, talvez durante a noite. Méndez e sua equipe encontraram muitos mais ovos do que o esperado depois que os turistas saltitantes foram embora.

“Um tornado pode estar acontecendo, mas elas vão continuar a depositar seus ovos, enterrá-los e voltar para o mar”, ele disse.

As tartarugas, que depositam seus ovos durante um período de três a quatro dias a cada mês, começaram a chegar no começo de setembro. Fotos do fenômeno rapidamente começaram a se espalhar pelas redes sociais.

De longe, a bordo de um barco, Vanessa Bézy, bióloga de tartarugas marinhas, assistiu desanimada quando hordas de turistas tomaram a praia. Eram tantos que os guardas não conseguiram dar conta.

“Eu quase tive um ataque de pânico porque a praia estava lotada”, disse Vanessa, doutoranda da Universidade da Carolina do Norte em Chapel Hill, que estuda o comportamento da desova na praia de Ostional há cinco anos. “Basicamente, era cada um por si”.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]