Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Michelle e Barack Obama, Hillary e Bill Clinton, e o prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, visitam museu em homenagem às vítimas dos atentados de 11/9 de 2001 | REUTERS/Kevin Lamarque
Michelle e Barack Obama, Hillary e Bill Clinton, e o prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, visitam museu em homenagem às vítimas dos atentados de 11/9 de 2001| Foto: REUTERS/Kevin Lamarque

O museu sobre os atentados de 11 de setembro de 2001 mantém viva a memória das vítimas e demonstra que "nada pode nos destruir", afirmou nesta quinta-feira (15) o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama.

Em seu discurso durante a inauguração do museu, Obama afirmou que visitar o edifício "é uma experiência profunda e comovente", já que permite ao visitante conhecer e lembrar as quase 3 mil vítimas do atentado terrorista.

"Aqui contamos essa história para que as gerações futuras nunca se esqueçam", afirmou o presidente, que ressaltou o fato do museu expor detalhes pessoais das vítimas, como um anel de casamento ou um capacete de bombeiro.

Além dos objetos pessoais, o museu também traz imagens de cada uma das vítimas, as quais são acompanhadas de uma breve biografia.

"Aqueles que perdemos vivem dentro de nós. Nas famílias que ainda lhes querem e nos amigos que sempre vão lembrar", insistiu o presidente.

Obama também destacou que, acima da dor e da lembrança, os muros que rodeiam o museu demonstram que "nada pode nos destruir e nada pode mudar quem somos".

"Nenhum atentado terrorista pode igualar a força do caráter de nosso país", insistiu.

O presidente se pronunciou após visitar o museu, que será aberto ao público somente na próxima semana, na companhia de sua esposa, Michelle, e do ex-prefeito de Nova York Michael Bloomberg, que preside o Memorial.

A cerimônia de inauguração do museu também contou com discurso de alguns familiares das vítimas e sobreviventes dos atentados contra as Torres Gêmeas do World Trade Center.

Os serviços de resgate da cidade, que perderam mais de 400 homens (entre eles 341 bombeiros) na queda das torres, também foram homenageados entre coros e interpretações musicais.

Os governadores dos estados de Nova York, Andrew Cuomo, e Nova Jersey, Chris Christie, assim como o prefeito nova-iorquino, Bill de Blasio, também marcaram presença na cerimônia.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]