Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
origem coronavírus china
Membros da equipe da Organização Mundial da Saúde (OMS) que investigam as origens do coronavírus são vistos durante visita ao Centro de Hubei para Controle e Prevenção de Doenças Animais em Wuhan| Foto: Hector RETAMAL/AFP

A virologista Marion Koopmans, que fez parte da equipe da Organização Mundial da Saúde (OMS) que viajou para Wuhan no início deste ano, disse à NBC News na semana passada que "talvez um ou dois" cientistas que trabalham com coronavírus no Instituto de Virologia de Wuhan adoeceram com sintomas semelhantes aos da gripe no outono [do hemisfério norte] de 2019, pouco antes dos primeiros casos de Covid-19 – mas ela tem certeza de que essas doenças não estão relacionadas ao surto de Covid-19.

“Houve doenças ocasionais, porque isso é normal”, disse Koopmans à NBC News. “Não há nada que se destaque. . . Certamente não é grande coisa”.

Ela acrescentou que sabe que essas doenças não poderiam ser conectadas ao surto de Covid-19, porque o governo chinês disse à OMS que esses pesquisadores testaram negativo para a doença.

Sério? Quer dizer, não é pelo menos concebível que as autoridades chinesas estejam mentindo sobre isso? Estamos falando de um governo autoritário e dissimulado com todos os tipos de abusos dos direitos humanos, que passou as primeiras três a seis semanas desta pandemia insistindo que o Sars-CoV-2 não poderia ser transmitido de humano para humano.

Temos um laboratório chinês em Wuhan estudando coronavírus em morcegos, e os pesquisadores lá adoecem com sintomas semelhantes aos da gripe no outono de 2019, pouco antes do início da pandemia. Um estudo no The Lancet no início da pandemia relatou que "a data de início dos sintomas do primeiro paciente identificado foi 1º de dezembro de 2019", enquanto o South China Morning Post relatou que o governo chinês identificou o primeiro caso em 17 de novembro. Em maio passado, a NBC News relatou que uma análise privada de dados de telefones celulares concluiu que "não houve atividade de telefone celular em uma parte de alta segurança do Instituto de Virologia de Wuhan, de 7 a 24 de outubro de 2019."

A equipe da OMS esteve em Wuhan, no mês passado, mas o governo chinês se recusou a entregar os dados brutos de saúde, personalizados, dos 174 primeiros casos Covid-19 aos investigadores.

Apesar disso, a equipe da OMS afirma que não há razão para acreditar que um vazamento de laboratório tenha desempenhado papel algum nesta pandemia. A posição deles é: "Aqueles que reconhecidamente são mentirosos nos garantiram que eles não tiveram nada a ver com isso."

* Jim Geraghty é correspondente político sênior da National Review.

© 2021 National Review. Publicado com permissão. Original em inglês

9 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]