Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Durante a audiência geral de quarta-feira, Francisco afirmou que “renegar a paternidade e a maternidade nos diminui”
Durante a audiência geral de quarta-feira, Francisco afirmou que “renegar a paternidade e a maternidade nos diminui”| Foto: EFE/EPA/Vatican Media

O papa Francisco afirmou nesta quarta-feira (5) que, em um momento em que os animais de estimação “ocupam o lugar dos filhos”, a adoção “está entre as formas mais elevadas de amor” e pediu que as autoridades facilitem os procedimentos para esta forma de acesso à paternidade e à maternidade.

“Espero que as instituições estejam sempre prontas a ajudar neste sentido da adoção, controlando seriamente, mas também simplificando o procedimento necessário para que se realize o sonho de tantos pequeninos que precisam de uma família, e de tantos cônjuges que desejam entregar-se com amor”, disse Francisco.

Diante das dezenas de pessoas reunidas na Sala Paulo VI do Vaticano para ouvi-lo durante a audiência geral de quarta-feira, que desta vez contou com um surpreendente número circense, o pontífice refletiu sobre a figura de São José e a paternidade.

“Os cães e os gatos ocupam o lugar dos filhos. Renegar a paternidade e a maternidade nos diminui, tira a nossa humanidade, a civilização está envelhecendo”, afirmou o pontífice, citando a escolha de não ter filhos como “uma forma de egoísmo”, antes de citar alguém que se perguntava: “Quem vai pagar a minha pensão? Se não houver filhos? Quem vai cuidar de mim?”.

“Peço a São José a graça de despertar as consciências e a pensar nisso: a ter filhos”, afirmando ainda que “a maternidade ou a paternidade é a plenitude da vida de uma pessoa”, antes de assegurar que “ter um filho é sempre um risco, tanto natural quanto de adoção, porém, é mais arriscado não ter” e que a nossa civilização hoje “é um pouco órfã”, um sentimento “que dói muito”.

Nesse sentido, referiu-se à adoção, cujo “vínculo não é secundário”, mas sim um “tipo de escolha (que) está entre as formas mais elevadas de amor e de paternidade e maternidade. Quantas crianças no mundo estão à espera de alguém que cuide delas! E quantos cônjuges desejam ser pais e mães!”.

“Não devemos ter medo de escolher o caminho da adoção, de assumir o 'risco do acolhimento'. Espero que as instituições estejam sempre prontas a ajudar neste sentido da adoção, controlando seriamente, mas também simplificando o procedimento necessário para que se realize o sonho de tantos pequeninos que precisam de uma família, e de tantos cônjuges que desejam entregar-se com amor”, pediu.

Ao final da audiência, um grupo de integrantes do circo Rony Roller, que atualmente se encontra em Roma, se apresentou para o pontífice com uma peça que incluiu malabarismos, exercícios de ginástica e música que levantou aplausos e alguns gritos por parte dos fiéis presentes.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]