i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Ofensiva

Paquistão intensifica ataque contra Taleban na fronteira afegã

  • PorAgência Estado
  • 19/10/2009 21:06
Vejo os locais atacados |
Vejo os locais atacados| Foto:

Eleições

Afeganistão pode ter 2º turno

Folhapress

Cabul - A Comissão Eleitoral de Apelações (CEA), apoiada pela ONU, invalidou ontem centenas de milhares de votos dados ao presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, na eleição presidencial de 20 de agosto, deixando o país mais próximo de um segundo turno.

A falta de definição do pleito, marcado por mais de 700 denúncias de fraudes, gerou tensões entre Karzai e países ocidentais cujas tropas lutam contra a insurgência taleban.

Segundo o jornal New York Times, que teve acesso ao relatório da comissão, Karzai perdeu 915 mil votos, e seu principal concorrente, Abdullah Abdullah, teve quase 196 mil votos anulados.

Um grupo independente de mo­­nitoramento eleitoral, De­­mocracy International, disse que isso deixaria Karzai com cerca de 48,3% dos votos – menos do que os 50% necessários para ser reeleito sem a necessidade de uma nova votação.

Islamabad - Forças paquistanesas mantiveram ontem, pelo terceiro dia seguido, a ofensiva terrestre e os bombardeios aéreos contra re­­dutos da milícia fundamentalista islâmica Taleban e da rede ex­­tremista Al-Qaeda no Wazi­­ristão do Sul, na fronteira com o Afe­­ganistão, onde pelo menos 78 rebeldes e 9 soldados morreram desde sábado, segundo autoridades locais.

O Exército paquistanês afirma não ter encontrado intensa resistência rebelde na região que, segundo os serviços de inteligência, é usada como centro de planejamento para os atentados extremistas como o do dia 10, que deixou 20 mortos no quartel de Rawalpindi, conhecido como o "Pentágono paquistanês".

Apoio

As operações de ontem coincidiram com a chegada ao Paquistão do general David Petraeus, chefe do Comando Central dos EUA, e do senador americano John Ker­­ry. A visita demonstra o forte apoio do governo dos EUA à ofensiva militar contra os extremistas.

Mais de 100 mil civis já ti­­nham fugido do Waziristão do Sul antes da ofensiva. Desde sá­­bado, mais 20 mil deixaram a zona.

Desde o fim de semana, o go­­verno do Paquistão mobilizou 28 mil soldados para enfrentar cerca de 10 mil taleban, alguns vindos do Usbequistão e alguns membros da rede Al-Qaeda. A ofensiva do governo iniciada neste fim de semana é considerada a mais importante dos últimos anos.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.