i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
grupo

Para Lula, países amazônicos devem ter posição única sobre clima

Para ele, a iniciativa é necessária para evitar que os países ricos imponham barreiras ao crescimento dos países em desenvolvimento

  • Porreuters
  • 16/06/2010 15:11
Presidente Lula em encontro com Alan Garcia, presidente do Peru | AFP
Presidente Lula em encontro com Alan Garcia, presidente do Peru| Foto: AFP

Ao lado do presidente do Peru, Alan García, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu nesta quarta-feira a construção de um discurso único pelos países amazônicos para ser apresentado na próxima reunião de cúpula sobre o combate ao aquecimento global.

Para ele, a iniciativa é necessária para evitar que os países ricos imponham barreiras ao crescimento dos países em desenvolvimento. A COP16 será realizada em Cancún, México, entre 29 de novembro e 10 de dezembro. É a conferência que se segue à COP15, ocorrida em Copenhague no final do ano passado.

"Os países amazônicos têm que construir um discurso único para chegar a Cancún em dezembro e fechar uma proposta", afirmou Lula a jornalistas em Manaus, cidade localizada no meio da Amazônia.

"Penso que nós precisamos fazer uma unidade de integração sul-americana e chegar na COP16 muito fortes para a gente aprovar uma política ambientalmente mais correta."

O presidente brasileiro argumentou que os países amazônicos precisam a ter cuidado com o discurso de alguns países ricos, que pretendem impedir a construção de usinas hidrelétricas na região como forma de incentivar a venda da tecnologia de geração de energia nuclear. Lula lembrou que as fontes alternativas a essas duas opções são ainda mais poluentes: as usinas térmicas a óleo ou carvão.

"A questão do clima tem que ser levada a sério e nós temos que fazer as coisas corretas, mas a gente não pode ficar à mercê dos discursos dos países que já desmataram tudo que tinham que desmatar, já ganharam tudo que tinham que ganhar, já estão ricos e agora não querem que a gente fique rico", acrescentou.

Na reunião de cúpula de Copenhague, o Brasil apresentou as metas de redução de emissão de gases estufa responsáveis pelo aquecimento. No geral, o encontro não atingiu plenamente seus objetivos.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.