Disney de Tóquio foi um dos parques a adotar a medida (JIJI PRESS / AFP).
Disney de Tóquio foi um dos parques a adotar a medida (JIJI PRESS / AFP).| Foto: AFP

Os parques de diversão japoneses aderiram a uma campanha, no mínimo, inusitada para reforçar a prevenção ao novo coronavírus: os estabelecimentos têm pedido a seus visitantes que não gritem durante os passeios realizados em atrações radicais, como montanhas-russas e torres de queda livre. O objetivo é evitar que gotículas de saliva se espalhem e possam propagar a Covid-19.

A fim de provar que a regra pode ser cumprida, o perfil no YouTube do Fuji-Q Highland, instalado na cidade de Fujiyoshida, publicou, há algumas semanas, um vídeo onde se vê dois executivos do local fazendo um passeio silencioso por uma montanha-russa do parque. Os homens, que usam máscaras de proteção, não soltam um grito sequer. A peça se encerra com a frase “por favor, grite dentro do seu coração”. Confira abaixo.

"É impossível não gritar", disse ao Wall Street Journal a universitária Rika Matsuura, durante visita à Disney de Tóquio. "É uma tortura conseguir estar de volta ao seu lugar favorito no mundo sem poder gritar e aproveitar tudo 100%".

Segundo a publicação, a proibição aos gritos e a recomendação de que os visitantes usem máscaras foram adotadas pelas associações de parques temáticos do Japão assim que as atrações começaram a ser reabertas ao público, em maio. A maioria dos parques japoneses está seguindo as diretrizes, incluindo as filiais da Disney e da Universal Studios no país.

Ainda que a utilização de máscaras de proteção não seja obrigatória no Japão, praticamente todas as pessoas do país têm adotado a medida desde o início da pandemia. O país tem, até o momento, 20,2 mil casos de Covid-19 confirmados. Foram registradas 980 mortes.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]