Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
O candidato de esquerda à presidência do Peru, Pedro Castillo, discursa para apoiadores.
O candidato de esquerda à presidência do Peru, Pedro Castillo, discursa para apoiadores.| Foto: Harold Mejía/EFE

A ONPE (Oficina Nacional De Procesos Electorales) do Peru informou nesta quinta-feira (10) que 100% das cédulas foram processadas e 99.33% contabilizadas, e deve confirmar a vitória do candidato Pedro Castillo (de esquerda) como presidente do Peru. Contudo, o resulto oficial pode demorar até duas semanas para ser revelado porque a candidata de direita Keiko Fujimori tenta impugnar 800 urnas.

A eleição presidencial no Peru está bastante acirrada. Com uma diferença de menos de 70 mil votos entre os dois candidatos do segundo turno.

Keiko Fujimori pediu a anulação de cerca de 200 mil votos, alegando uma suposta "fraude sistemática" em favor do adversário.

Este processo judicial aberto pela filha e herdeira política do ex-presidente Alberto Fujimori pode estender a definição oficial do vencedor das eleições em até duas semanas.

Fernández parabeniza Castillo

Castillo, entretanto, já se declarou vencedor antes do final da contagem dos votos. Alberto Fernández, presidente da Argentina, foi o primeiro presidente em exercício a reconhecer a vitória de Castillo.

O fato causou nesta quinta-feira irritação no governo do Peru, que enviou uma nota de protesto ao embaixador argentino em Lima.

Em mensagem no Twitter, Fernández informou que entrou em contato com Castillo para parabenizá-lo.

"Hoje me comuniquei com @PedroCastilloTe, presidente eleito do Peru. Expressei meu desejo de unir forças em favor da América Latina. Somos nações profundamente irmanadas. Celebro que o querido povo peruano enfrente o futuro em democracia e com força institucional", escreveu o presidente argentino.

Ontem, Fernández falou sobre Castillo em uma entrevista coletiva em Buenos Aires ao lado do presidente do governo da Espanha, Pedro Sánchez.

"Não tive a oportunidade de falar com quem aparentemente foi eleito, mas se isso se confirmar, hoje mesmo ligarei para ele", declarou.

Análise de cédulas

O resultado final ainda não foi declarado pelo Escritório Nacional de Processos Eleitorais, porque cerca de 0,7% dos votos serão reavaliados. Como a cédula, no Peru, é de papel, pode haver alguma rasura ou dado incorreto nesses votos. Pelo fato de a margem entre os candidatos ser muito estreita, uma mudança nesse porcentual ainda poderia alterar o resultado da eleição.

Agora, os delegados eleitorais do Onpe reavaliarão esses 0,7% de cédulas com problemas, voto a voto, para determinar se eles podem ser computados ou não. Nessa categoria entram votos incompletos, sem dados, impugnados ou rasurados. Isso acontece em paralelo ao pedido de Keiko de anulação de cerca de 200 mil votos, sob a alegação de fraudes. O primeiro pedido, na província de Cajamarca, foi invalidado por autoridades eleitorais.

Agora, os delegados eleitorais do Onpe reavaliarão esses 0,7% cédulas com problemas, voto a voto, para determinar se eles podem ser computados ou não. Nessa categoria entram votos incompletos, sem dados, impugnados ou rasurados. Em paralelo, Keiko pede anulação de cerca de 200 mil votos, sob a alegação de fraudes. O primeiro pedido, na província de Cajamarca, foi invalidado por autoridades eleitorais.

A apuração levou quatro dias para ser concluída e os votos que garantem, por enquanto, a estreita margem de Castillo vieram de áreas rurais e andinas. Os votos do exterior, em sua maioria pró-Keiko, não foram suficientes para alterar a vantagem do esquerdista.

Hoje, o Ministério Público do Peru pediu a prisão de Keiko por violar medidas de liberdade condicional relativas aos processos que responde no desdobramento peruano da Operação Lava Jato.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]