Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Caro usuário, por favor clique aqui e refaça seu login para aproveitar uma navegação ainda melhor em nosso portal. FECHAR
PUBLICIDADE

copa na rússia

Presídio na Rússia ganhou ‘padrão Fifa’, segundo opositor de Putin que saiu da cadeia 

O governo russo desmentiu as declarações, que no fim, provaram ser sarcasmo por parte de Navalny

  • Moscou, Rússia
  • Igor Gielow
  • Folhapress
Opositor de Putin, Alexei Navalny, foi solto nesta quinta-feira (14) - FOTO ARQUIVO | KIRILL KUDRYAVTSEVAFP
Opositor de Putin, Alexei Navalny, foi solto nesta quinta-feira (14) - FOTO ARQUIVO KIRILL KUDRYAVTSEVAFP
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

O ativista e blogueiro Alexei Navalny, o mais conhecido opositor do governo do presidente russo Valdimir Putin, foi solto nesta quinta-feira (14). Ele fez uma revelação inusitada em sua conta no Instagram: as cadeias de Moscou ganharam o “padrão Fifa” para receber estrangeiros que eventualmente sejam presos.

O governo russo desmentiu as declarações, que no fim, provaram ser sarcasmo por parte de Navalny.

Sem usar o jargão, que ganhou fama na Copa de 2014 no Brasil, ele afirmou que as celas da prisão em que ficou na capital foram reformadas com materiais de boa qualidade, o chamado “euroremont” —renovação com qualidade europeia, como os russos chamam qualquer coisa que não lembre o antigo padrão soviético de construção e acabamento. As prisões do país têm fama de serem lugares opressivos, para usar o eufemismo.

Protesto durante a Copa?

Navalny ganhou atenção mundial ao convocar megaprotestos contra a corrupção estatal russa no ano passado, sempre de forma descentralizada, pela internet. Em dois atos, dezenas de milhares foram às ruas, a maioria jovens, em cerca de 200 cidades da Rússia.

Ele buscou concorrer à Presidência em março, mas foi barrado por ter uma condenação criminal que alega ser fruto de uma armação judicial. De todo modo, as pesquisas disponíveis nunca deram mais de 1% de intenções de voto para o ativista, cuja atração a jovens é criticada como manipulação pela oposição estabelecida no país. Putin acabou sendo reeleito com 77% dos votos.

Na véspera da posse do presidente, em 5 de maio, Navalny novamente foi ao enfrentamento e se recusou a fazer um protesto contra Putin na área permitida pela prefeitura de Moscou. O mesmo ocorreu em várias cidades, e mais de mil ativistas acabaram detidos. No julgamento relâmpago que se seguiu, o blogueiro recebeu a pena máxima cabível, de 30 dias.

A sua libertação no dia em que a Copa começa na Rússia está deixando seus apoiadores curiosos: Navalny vai tentar fazer protestos novamente? Segundo um porta-voz do Fundo Anticorrupção, sua ONG, não há previsão de atividades para os próximos dias, mas na verdade essas coisas não são divulgadas de forma muito adiantada.

Saiba mais: Os rumos da política internacional da Rússia no último mandato de Vladimir Putin

Em tese, o ambiente é perfeito para protestos. Cerca de 5.000 jornalistas estrangeiros estão na Rússia, os proverbiais olhos do mundo estão direcionados para a nação de Putin. O próprio presidente se mostra ciente publicamente disso, tanto que instou os visitantes a conhecer uma Rússia “amigável e legal” em discurso na quarta-feira (13). O forte policiamento em todas as cidades-sede, contudo, pode ser um fator de dissuasão para os ativistas.

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Mundo

PUBLICIDADE