Mais de 15 mil jovens morrem anualmente por atos de violência na Europa, disse a Organização Mundial da Saúde nesta terça-feira. Cerca de 40 por cento dessa mortes são causadas por esfaqueamento.

Em um relatório sobre a violência na Europa, a OMS afirmou que as 40 mortes que ocorrem diariamente por esfaqueamento e outros ataques são uma "perda enorme para a sociedade", e muitas poderiam ser evitadas por políticas que unam os setores de saúde, educação e justiça criminal.

O estudo descobriu que o porte de facas é comum em muitos países europeus -- cerca de 12 por cento de jovens portam facas -- e os índices de assassinato são mais altos na Rússia, Albânia, Cazaquistão e muitos países do leste Europeu.

Outras formas comuns de assassinato de jovens são por tiros ou estrangulamento. A violência não-letal é muito mais comum. Para cada morte não violenta a entidade estima que 20 jovens vítimas da violência sejam internados em hospitais.

"Há muito a se ganhar adaptando a experiência de alguns dos países europeus mais bem-sucedidos na prevenção de violência", disse Zsuzsanna Jakab, diretora-regional da OMS para a Europa, que divulgou o relatório em Londres.

Ela disse que se as autoridades aumentarem os investimentos e tiverem como foco políticas de prevenção contra a violência em diversos setores do governo, a Europa poderia salvar mais de 13 mil vidas por ano -- nove em cada dez mortes violentas.

As pesquisas indicam que o "bullying" em escolas e na comunidade aumenta o risco de jovens se envolverem com a violência, mas não existe relação significativa entre o consumo de álcool ou drogas e o porte de uma arma, informou o relatório.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]