i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Estudo

Quem ganha com a guerra comercial?

    • Gazeta do Povo
    • 10/05/2019 17:32
    Nesta foto de 4 de abril de 2019, o presidente dos EUA, Donald Trump, fala durante reunião comercial com o vice-premiê chinês Liu He no Salão Oval da Casa Branca, em Washington, EUA
    Nesta foto de 4 de abril de 2019, o presidente dos EUA, Donald Trump, fala durante reunião comercial com o vice-premiê chinês Liu He no Salão Oval da Casa Branca, em Washington, EUA| Foto: Jim WATSON / AFP

    Enquanto o mundo vê com preocupação uma escalada da guerra comercial entre Estados Unidos e China, alguns países podem se beneficiar dos aumentos tarifários impostos entre os dois países - pelo menos em curto prazo.

    Segundo um estudo realizado pela Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD na sigla em inglês), a União Europeia, o México, Japão e Canadá tirariam o maior proveito da briga entre as duas maiores economias do mundo. O Brasil também está na lista.

    Isso ocorre, segundo a organização, porque as tarifas bilaterais alteram a competitividade global em benefício de empresas que operam em países não diretamente afetados por elas, refletindo nos padrões de importação e exportação em todo o mundo.

    Levando em consideração tarifas americanas de 25% sobre US$ 200 bilhões em produtos chineses – que passaram a valer a partir desta sexta-feira (10) –, o estudo indica que as exportações da União Europeia são as que mais devem aumentar no curto prazo, capturando cerca de US$ 70 bilhões do comércio bilateral EUA-China. Japão, México e Canadá podem capturar mais de US$ 20 bilhões cada.

    As exportações brasileiras devem aumentar em cerca de US$ 11 bilhões, especialmente por causa das exportações de soja para a China. Apesar disso, as incertezas sobre o período de vigência destas tarifas deixam o produtor brasileiro receoso de tomar decisões de investimento que podem se revelar não lucrativas se as tarifas forem revogadas.

    O estudo da UNCTAD foi publicado em fevereiro e já considerava as tarifas de 25% sobre os US$ 200 bilhões em produtos chineses, além das tarifas da China sobre US$ 100 bilhões em produtos americanos.

    Os pesquisadores apontaram que, apesar de alguns países lucrarem com a guerra comercial, os efeitos negativos devem ser predominantes.

    "A recessão econômica acompanha frequentemente variações nos preços das commodities, nos mercados financeiros e nas moedas, o que terá importantes repercussões para os países em desenvolvimento", afirmou a UNCTAD.

    4 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 4 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

    • F

      Freitas

      ± 0 minutos

      Uma ótima oportunidade para o Brasil apresentar os seus produtos.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

      • G

        Geraldo Pereira

        ± 13 horas

        A China tem a Asia , é jogo duro, E não dormiu como o Brasil, em 1976-78 Deng Xiao Ping fez a virada e hoje China é muito forte. Tem até Astronautas e viagens ao espaço., tem celulares de ponta etc etc.

        Denunciar abuso

        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

        Qual é o problema nesse comentário?

        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

        Confira os Termos de Uso

        • A

          Antonio de Azevedo

          ± 13 horas

          EU! EU?!

          Denunciar abuso

          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

          Qual é o problema nesse comentário?

          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

          Confira os Termos de Uso

          1 Respostas
          • F

            Freitas

            ± 4 horas

            Interne-se.

            Denunciar abuso

            A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

            Qual é o problema nesse comentário?

            Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

            Confira os Termos de Uso

        Fim dos comentários.