Protesto feminista do lado de fora da convenção republicana | Philip Andrews/Reuters
Protesto feminista do lado de fora da convenção republicana| Foto: Philip Andrews/Reuters

O Partido Republicano dos Estados Unidos aprovou ontem, durante sua Convenção Nacional em Tampa (Flórida), um programa de governo que prevê a conclusão do muro na fronteira com o México e a promoção de leis estaduais contra imigrantes, como as de Arizona e Alabama.

"O duplo muro na fronteira promulgado pelo Con­­gresso em 2006 e jamais terminado deve ser finalmente concluído", destaca o documento de 62 páginas aprovado pelo partido.

A proposta, que será apresentada ao candidato republicano à presidência, Mitt Romney, também contempla posições conservadoras sobre aborto e casamento gay, dois dos temas que mais dividem a sociedade americana.

Ainda sobre a imigração, o programa assinala que "os esforços estaduais para reduzir a entrada de estrangei­­ros devem ser alentados e não combatidos".

"As ações pendentes do departamento de Justiça con­­tra Arizona, Alabama, Ca­­rolina do Sul e Utah devem ser suspensas imediatamente", destaca o documento.

Desde 2010, estes estados têm aprovado leis que visam a criminalizar os imigrantes ilegais e todos que os ajudam.

O programa do Partido Republicano também nega "qualquer forma de anistia para os que violam intencionalmente a lei, em detrimento dos que a obedecem".

"A Lei da Imigração Legal" proposta pelos republicanos reconhece as "contribuições vitais" dos imigrantes legais no país, mas defende o combate à imigração ilegal por considerar que ela prejudica os Estados Unidos e sua força de trabalho.

O plano de governo aprovado na convenção defende ainda a "criação de procedimentos humanos para alentar os imigrantes ilegais a regressar voluntariamente a seus países, e a aplicação do peso da lei contra os que permanecem nos Estados Unidos com vistos" que não permitem a residência.

Horas antes da divulgação­­ do documento, Carlos Gu­­tiér­­rez, assessor para assun­­tos ‘hispânicos’ de Mitt Rom­­ney­­ e ex-secretário de Co­­mér­­­­cio de George W. Bush, dis­­se em­­­­ Tampa que "a plata­­for­­ma­­­­ que vale é a plataforma de­­ Romney, e ela não é igual a­­ do partido".

Os assessores de presidenciável republicano temem que­­ proposta do partido afaste eleitores hispânicos.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]