i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
EUA

Residência de sequestrador em Ohio é demolida

  • PorFolhapress
  • 07/08/2013 21:26
Policial observa a demolição da casa de Ariel Castro em Cleveland, no estado de Ohio | David Maxwell/Efe
Policial observa a demolição da casa de Ariel Castro em Cleveland, no estado de Ohio| Foto: David Maxwell/Efe

Lágrimas

Ariel Castro, condenado à prisão perpétua, chorou ao assinar a autorização para destruir a casa em que manteve três jovens presas durante mais de uma década. Castro disse ter "muitas lembranças felizes" do tempo que viveu na casa.

A casa de Ariel Castro, de 53 anos, que sequestrou três mulheres por mais de uma década em Cleveland, nos Estados Unidos. foi demolida ontem. O imóvel serviu de cativeiro para Amanda Berry, 27, Michelle Knight, 32, e Georgina DeJesus, 23.

As três foram sequestradas entre 2002 e 2004 e deixaram o local em 6 de maio, após Amanda chamar a atenção de um vizinho.

Castro foi condenado na última quinta-feira à prisão perpétua e mais de mil anos de prisão por sequestro, estupro, agressão e homicídio qualificado – ele obrigou Michelle a fazer um aborto.

A casa foi destruída após decisão da Promotoria e faz parte do acordo judicial após a divulgação da sentença de Castro. A intenção dos promotores era evitar que o local se transformasse em uma espécie de símbolo.

Outras duas casas serão demolidas para a criação de um espaço a ser usado pelos vizinhos. O primeiro golpe da demolição foi dado por Peggy Ari­da, tia de Georgina DeJesus. "Tinha tanta raiva dentro de mim que fiz questão. Me senti muito bem. Foi como ver uma casa dos horrores ruir", disse Peggy.

A operação contou, além disso, com a participação de Michelle Knight, a única das três mulheres sequestradas que assistiu à demolição. "Quero que as pessoas aí fora, incluindo a mãe de sequestrados, saibam que podem ter força, podem ter esperança de que seus filhos voltarão", disse.

Os funcionários da Promo­toria explicaram que Castro começou a chorar quando assinou a autorização para destruir a casa ao afirmar que tinha "muitas lembranças felizes" dentro dela.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.