Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Reunião Ministerial: China foi citada por Ernesto Araújo
Em reunião ministerial, China é citada indiretamente pelo chanceler Ernesto Araújo. Algumas partes do vídeo em que os ministros citam outros países foram omitidas por Celso de Mello por motivos diplomáticos.| Foto: Arthur Max/MRE

Após o ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), liberar a divulgação do vídeo da reunião ministerial do dia 22 de abril, a Embaixada da China no Brasil emitiu uma nota no fim da noite desta sexta-feira (22).

Afirma que os países são parceiros estratégicos globais e que a cooperação tem "alcançado resultados abrangentes num ritmo acelerado" e lembra que a China é o maior parceiro comercial brasileiro há 11 anos seguidos, e uma das principais fontes de investimento estrangeiro no país.

China na reunião ministerial

O país é citado indiretamente na reunião ministerial pelo chanceler Ernesto Araújo, quando afirma que a globalização apresenta “um modelo onde no centro da economia internacional está um país que não é democrático, que não respeita direitos humanos”.

Outros trechos em que os ministros citam países como a China e o Paraguai foram omitidos por Celso de Mello por motivos diplomáticos.

“Nos últimos tempos, o governo, o empresariado e as organizações da sociedade civil da China vêm dando um firme apoio ao Brasil na sua luta contra o novo coronavírus conforme as suas necessidades", destaca a embaixada, que garante ainda que o país foi transparente nas informações quanto à Covid-19 e notificou a Organização Mundial de Saúde abasteceu países com o Brasil com experiências de prevenção, controle e diagnóstico do coronavírus.

O texto ainda termina de forma otimista: diz que "juntos vamos vencer a pandemia" e a parceria sino-brasileira a outro patamar. Confira a nota na íntegra

8 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]