Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

As revistas "Science" e "Nature" foram anunciadas na quarta-feira como vencedoras do prêmio Príncipe de Astúrias de Comunicação e Humanidades de 2007, por sua contribuição à divulgação de grandes descobertas científicas.

As centenárias publicações, as mais importantes do mundo em sua área, bateram outros candidatos, como a agência de fotografia Magnum e a emissora pública britânica BBC.

"Durante mais de um século elas impulsionaram e difundiram as grandes conquistas científicas da humanidade, aproximando desse modo a ciência da vida", disse a ata do júri, que se reúne anualmente em Oviedo, nas Astúrias, no norte da Espanha.

A revista "Science", fundada em Nova York em 1880 com apoio dos inventores Thomas Edison e Alexander Graham Bell, tem como objetivo publicar semanalmente descobertas e pesquisas de um amplo leque de disciplinas.

A "Nature", também semanal, foi publicada pela primeira vez em 1869 na Grã-Bretanha e sempre manteve seus objetivos iniciais de levar ao público geral os grandes resultados dos trabalhos científicos e suas descobertas, segundo a fundação.

Este é o quinto dos oito prêmios Príncipe de Astúrias concedidos anualmente. Já foram escolhidos neste ano o ex-vice-presidente dos EUA Al Gore (prêmio de Cooperação Internacional), o músico Bob Dylan (Artes), os biólogos Peter Lawrence e Ginés Morata (Investigação Científica e Técnica) e o escritor israelense Amos Oz (Literatura).

Dentro de poucas semanas sai o prêmio de Ciências Sociais, e em setembro será a vez das categorias Esportes e Concórdia.

Os premiados recebem 50 mil euros e uma escultura de Joan Miró. A cerimônia acontece no segundo semestre, em Oviedo, em uma solenidade presidida pelos príncipes de Astúrias (o filho mais velho do rei Juan Carlos II e sua esposa).

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]