i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Resultado negativo

Sonda japonesa não encontra água em pólo sul da Lua

Imagens captadas não revelaram o brilho que seria esperado caso houvesse um reservatório de gelo. Em fevereiro, a Nasa apresentou o mais detalhado mapa feito na área sul

  • PorAgência Estado
  • 23/10/2008 17:41
Imagem mostra o lançamento da sonda Selene-Kaguya, enviada para orbitar a Lua, em setembro de 2007 | Kyodo / Reuters
Imagem mostra o lançamento da sonda Selene-Kaguya, enviada para orbitar a Lua, em setembro de 2007| Foto: Kyodo / Reuters

Cientistas da Agência Espacial Japonesa (Jaxa) informam, na edição desta semana da revista "Science", que a sonda Selene-Kaguya, enviada pelo Japão para orbitar a Lua em 2007, não encontrou sinais de água no fundo da Cratera Shackleton, no pólo sul lunar.

Nos anos 1990, duas sondas orbitais dos Estados Unidos - Clementine e Lunar Prospector - detectaram sinais que poderiam ser de água congelada na região, onde algumas crateras, como a própria Shackleton, têm áreas em que a luz do Sol nunca chega. A sombra perpétua permitiria a acumulação de gelo e tornaria o local atraente para o estabelecimento de uma base na Lua.

O próprio artigo japonês começa reconhecendo que a questão da presença de gelo nos pólos lunares "é potencialmente importante para a colonização por humanos da Lua e para viagens ao espaço além da Lua". No entanto, imagens feitas pela Selene-Kaguya do fundo da Shackleton não revelam, ali, o brilho que seria esperado caso houvesse um reservatório de gelo no local. Para fazer a imagem da região da cratera imersa em sombra, a Selene-Kaguya usou a luz refletida pelas encostas do declive.

O pesquisador Junichiri Haruyama, um dos autores do artigo na "Science", diz que os sinais obtidos pelas sondas norte-americanas na década de 1990 poderiam ser explicados, diante dos resultados da Selene-Kaguya, como "gelo misturado ao solo, gelo coberto pelo solo ou hidrogênio implantado pelo vento solar". "Minha favorita é a terceira hipótese, mas a primeira ou a segunda podem acabar sendo as verdadeiras", disse.

Esse não é o primeiro resultado negativo para água em Shackleton. Em 2003 e em 2006, o radiotelescópio de Arecibo, em Porto Rico, não foi capaz de confirmar a presença de massas de gelo na área. Em fevereiro deste ano, a Nasa apresentou o mais detalhado mapa já feito do pólo sul da Lua, também sem a confirmação de depósitos de gelo.

A Visão para Exploração Espacial anunciada pelo presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, em 2004, pede um retorno de astronautas à Lua por períodos de permanência cada vez mais prolongados, começando a partir de 2015. A existência de gelo permitiria que os astronautas obtivessem água, combustível e oxigênio para respirar com recursos locais.

Atualmente, Japão e China têm sondas na órbita da Lua. Além da Selene-Kaguya, lançada em setembro de 2007, há a chinesa Chang’e, que partiu em outubro do mesmo ano. Nesta semana, a Índia fez o lançamento de sua própria sonda lunar, a Chandrayaan 1. Já a Nasa anunciou recentemente o adiamento de sua próxima sonda lunar, o Lunar Reconnaissance Orbiter (LRO), de dezembro deste ano para fevereiro de 2009.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.