Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
coronavirus pesquisa
Brasil tem, hoje, 55 mil leitos de UTI. Ministro espera meses de “muito estresse” no sistema de saúde entre abril e junho.| Foto: AFP

Pessoas com tipo sanguíneo A podem ser mais muito mais vulneráveis ao novo coronavírus (Sars-Cov-2), enquanto as que têm o tipo O são mais resistentes, revelou um estudo preliminar conduzido por cientistas chineses que analisaram o sangue de mais de 2 mil pacientes com a Covid-19.

Comparando com os padrões de tipos sanguíneos de pessoas saudáveis na mesma população - o estudo foi feito em Wuhan e Shenzhen - os pesquisadores chegaram à conclusão que os pacientes com coronavírus de tipo sanguíneo A mostraram uma taxa de infecção maior e tenderam a desenvolver mais sintomas severos.

Segundo os pesquisadores, 32% dos moradores de Wuhan têm sangue tipo A e 34% têm sangue tipo O. Mas dos 206 pacientes que morreram em decorrência da Covid-19 em Wuhan, e cujo sangue foi analisado na pesquisa, 85 tinham sangue tipo A, o que representa 63% a mais do que as mortes das pessoas com tipo O.

O estudo ainda é preliminar e com base em poucos casos, mas os cientistas pediram aos governos que considerem a diferença de tipos sanguíneos ao estipular respostas ao surto de coronavírus.

"Pode ser útil introduzir a tipagem sanguínea ABO nos pacientes e na equipe médica como parte rotineira do gerenciamento de Sars-CoV-2 e outras infecções por coronavírus para ajudar a definir as opções de gerenciamento e avaliar os níveis de exposição ao risco das pessoas", diz o artigo ainda não revisado.

A diferença entre tipos sanguíneos foi observada em outras doenças infecciosas, como a hepatite B e síndrome respiratória aguda grave (Sars), de acordo com estudos anteriores. Mas, apesar da descoberta, os cientistas ainda não conseguiram explicar por que isso acontece.

6 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]