Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Foguete lançado pelo Hamas da Faixa de Gaza atingiu ônibus em Holon, nos arredores de Tel Aviv, segundo forças israelenses, em 11 de maio.
Foguete lançado pelo Hamas da Faixa de Gaza atingiu ônibus em Holon, nos arredores de Tel Aviv, segundo forças israelenses, em 11 de maio.| Foto: Reprodução / Twitter / Israel Defense Forces

Li os comunicados do PT e do MST a respeito da situação atual em Israel e na Faixa de Gaza. Novamente, a esquerda sempre se preocupa com a integridade física e mental da população de Gaza, enquanto ignora que em Israel vivem milhares de brasileiros, cuja integridade física e mental nunca importou para petistas e líderes sem-terra.

Estou seguro de que a esquerda não ignora o fato de Gaza ser governada por um grupo terrorista chamado Hamas, e que lá se encontram outros grupos extremistas como a Jihad Islâmica, a FPLP, a FDLP e outros grupos menos conhecidos.

O grande líder do PT, até pouco tempo atrás condenado em duas instâncias, visitou Israel; negou-se a depositar uma coroa de flores no túmulo de Theodor Herzl, mas foi prestar suas homenagens no túmulo de Yasser Arafat apenas duas horas mais tarde. Quem são eles? Herzl é o fundador do Sionismo Politico; jamais pegou em armas, jamais defendeu o armamento e sua única forma de luta eram artigos na imprensa e visitas a dignatários do mundo todo. Arafat é um arquiterrorista, sequestrador de aviões (no mínimo 13); foi quem enviou assassinos à Vila Olímpica de Munique, em 1972; explodiu ônibus cheios de inocentes, liderou duas intifadas com assassinatos de crianças, mulheres e velhos; tentou derrubar o governo da Jordânia e criou uma guerra civil no Líbano. Lula depositou flores para o assassino e ignorou o pacifista. Interessante notar que o assassino terrorista é árabe e o pacifista, judeu. Será este o fato que afastou Lula?

Não vi petistas e sem-terra elogiando Israel quando o país enviou equipe de resgate para Brumadinho, mas eles são rápidos em condenar Israel quando o país cumpre sua missão de defender sua população alvo de ataques

Assusta-me a hipocrisia da esquerda brasileira ao apoiar terroristas que enviaram 1.314 mísseis contra Israel em 49 horas. Um deles foi dirigido contra um veículo militar e os outros 1.313 (que repetição curiosa!), contra civis indefesos nas cidades grandes e nas aldeias pequenas de Israel.

Não vi petistas e sem-terra elogiando Israel quando o país enviou equipe de resgate para Brumadinho, quando enviou máquinas capazes de gerar água potável ao Nordeste, quando investiu nos remédios genéricos que baratearam a medicina para os pobres brasileiros. No entanto, eles são rápidos em condenar Israel quando o país cumpre sua missão de defender sua população alvo de ataques.

Na última madrugada, aqui em Holon, onde vivo, as sirenes antimísseis soaram 17 vezes. Foram 17 corridas em direção a abrigos antifoguetes, carregando minha sogra, uma brasileira de 96 anos, inválida, para que ela não morra com a explosão de foguetes lançados por covardes que buscam matar civis para gerar terror. Exatamente aqueles apoiados pelo PT e pelo MST.

Reitero o que disse Laura Viñer, argentina que vive em Israel, ao presidente Alberto Fernández: “sua hipocrisia me incomoda”. A esquerda brasileira não considera oportuno indagar sobre a situação que padecem os brasileiros que vivem em Israel, aceitando que outros brasileiros não devam se preocupar conosco; mas esses hipócritas aceitam usar toda a tecnologia desenvolvida em Israel, fazendo uso do celular, do Waze, do stent cardiológico, das cadeiras de plástico, da medicina não invasiva e outras centenas de inventos que os esquerdistas usam diariamente, mas que não existiriam se os terroristas nos tivessem eliminado.

Estamos aqui diante de um ataque terrorista cuja magnitude não era vista havia décadas, mas os chefes petistas e sem-terra decidiram ficar ao lado dos terroristas. Isto fala muito mais sobre eles que sobre Israel.

Israel é um país soberano e livre, e tem todo o direito e o dever de defender seu território e seus cidadãos

Israel não usa força excessiva, e sim uma força proporcional ao ataque sofrido por seus cidadãos. Israel é um país soberano e livre, e tem todo o direito e o dever de defender seu território e seus cidadãos. É exatamente isto que faria o Brasil e qualquer país que se diga normal caso seus habitantes estivessem sob a mira de foguetes.

Que fique claro: Israel não precisa da aprovação dos esquerdistas para defender sua população, e não pedirá autorização para fazer isso. Há muito poucos anos nos levavam à morte pelo simples fato de sermos judeus. Isto jamais se repetirá, com ou sem a aprovação do PT ou do MST. É lamentável que esses ditos “progressistas” tomem partido do terrorismo. Infelizmente, mais uma vez, escolhem o lado errado e contrário à justiça, à verdade e à ética. Que tenham a dignidade de rever essa posição, 100% equivocada.

Marcos L. Susskind é ativista comunitário, palestrante e guia de turismo em Israel.

28 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]