i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Artigo

Paraná e Canadá: conectados pela inovação

O paranaense quer empreender e está buscando informações para materializar seus planos e ampliar seus horizontes

  • PorPaulo de Castro Reis
  • 31/03/2018 00:01
 | Divulgação/ Turismo de Toronto
| Foto: Divulgação/ Turismo de Toronto

Dizer que o brasileiro é empreendedor é praticamente chover no molhado. Ainda assim, é interessante quando nos deparamos com cases de sucesso de startups brasileiras no exterior, o que vem ocorrendo com frequência cada vez maior. Dentro deste cenário, o estado do Paraná tem apresentado grande relevância nacional não só pelo número de startups, como pela característica inovadora desses negócios no estado.

Ocupando o quarto lugar entre os estados brasileiros com maior número de startups, conforme revelou pesquisa realizada em 2017 pela ABStartups em parceria com a Accenture, o Paraná apresenta características bastante favoráveis para surgimento e desenvolvimento deste tipo de negócio. Com renomadas instituições de ensino somadas à presença de importantes polos industriais, aliando capital humano qualificado a modernos centros de pesquisa e desenvolvimento, o Paraná pode ser considerado um celeiro para ecossistemas que vêm com a premissa da inovação em seu DNA.

E, como uma coisa leva à outra, não por acaso o Paraná tem despontado, há alguns anos, em rankings que identificam os melhores lugares do país para desenvolvimento de novos negócios. Curitiba – classificada como a quarta melhor cidade para empreender no país, segundo o Índice de Cidades Empreendedoras (ICE) 2017, e a quinta com maior número de startups no Brasil, de acordo com a já citada pesquisa de ABStartups e Accenture – é uma delas, mas não a única. Dados do Sebrae Paraná em parceria com a Software by Maringá apontaram um crescimento acelerado no surgimento de startups no noroeste do estado, onde Maringá aparece como destaque. O termômetro utilizado para avaliar o grau de empreendedorismo na região foi o número de consultas que o Sebrae-PR recebeu por parte de interessados em iniciar um novo negócio, particularmente no que se refere a atividades onde a inovação e a tecnologia prometem ser a diferença. Ou seja, o paranaense quer empreender e está buscando informações para materializar seus planos e ampliar seus horizontes.

A efervescência empreendedora no Paraná tem muito a ver com o cenário encontrado no Canadá

A presença, no estado, do Hacking Health – uma iniciativa que busca soluções para problemas no campo de saúde, a partir da exposição dos desafios e, principalmente, da troca de conhecimento entre profissionais da área com especialistas em tecnologia, empreendedores e sociedade em geral – ilustra o interesse do paranaense em adotar novas metodologias para resolver questões que afetam a vida de todos, como no caso da saúde. De origem canadense, o Hacking Health está presente em 60 cidades em diferentes países do mundo, entre elas Curitiba e Londrina, reiterando o papel protagonista dos paranaenses quando o assunto é inovação.

A efervescência no campo do empreendedorismo que se vê no Paraná tem muito a ver com o cenário encontrado no Canadá, país onde inovação é um assunto estratégico em todos os âmbitos. O exemplo vem do próprio governo, que oferece uma série de incentivos para que organizações desenvolvam ao máximo seu potencial, como incentivos fiscais e a promoção de um dos melhores ambientes de negócios do mundo, caracterizado pela desburocratização e alto grau de eficiência de suas instituições.

Leia também: Inovação sem visão sistêmica? (artigo de Marcos Pessoa, publicado em 30 de março de 2017)

Leia também: Um ecossistema de inovação para o Paraná (artigo de Waldemiro Gremski, publicado em 30 de julho de 2016)

Assim, com o intuito de gerar oportunidades de parceria e troca de conhecimento a partir da sinergia existente entre o Paraná e o Canadá, a Câmara de Comércio Brasil-Canadá (CCBC), que enxerga a tecnologia e a inovação como prioritários na promoção das relações bilaterais, decidiu fincar presença no estado com a criação do Chapter Sul, um braço de suas atividades localizado no sul do país. Entre essas atividades, a promoção da integração de ecossistemas canadenses e paranaenses de inovação é um dos destaques. A aproximação se dará a partir do Connection Bureau, uma ferramenta cujo propósito é conectar empreendedores, investidores, incubadoras, centros de pesquisa e, de modo geral, toda a comunidade ligada ao universo da tecnologia e inovação. Inteiramente gratuita, a plataforma tem como objetivo atuar como uma vitrine de oportunidades para empreendedores, gerando valor para todos os envolvidos, estejam eles no Canadá ou no Brasil, já que as oportunidades são bilaterais. Assim, empreendedores de Curitiba, Maringá ou de Londrina podem se conectar a startups em Vancouver, Toronto ou Montreal e vice-versa. O objetivo é promover conexões, sem limites, tendo a inovação como fio condutor nesse processo.

Essencial para o desenvolvimento de qualquer negócio ou país, a inovação é determinante para o crescimento econômico sustentável, produzindo valores e, especialmente, trazendo mais qualidade de vida para as pessoas. Acreditamos que o intercâmbio entre Paraná e Canadá a partir de parcerias, em diversas áreas, deve contribuir para que surjam muitas oportunidades, beneficiando a todos. Vale buscar essas parcerias, vale fazer isso agora!

Paulo de Castro Reis é diretor de Relações Institucionais e Negócios da Câmara de Comércio Brasil-Canadá.
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.