Aplicativo do auxílio emergencial do Governo Federal.
Aplicativo do auxílio emergencial do Governo Federal.| Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Para começar este resumo de notícias. O presidente Jair Bolsonaro assinou nesta quinta-feira (18) as medidas provisórias que definem o retorno do auxílio emergencial em 2021. Uma delas traz as novas regras e valores para o pagamento do benefício destinado a pessoas que perderam renda por causa da pandemia de Covid-19. A outra autoriza o governo a emitir dívida para custear a política este ano. Elas foram encaminhadas ao Congresso Nacional para votação, mas por se tratarem de MPs, têm força de lei e podem ser implementadas imediatamente, assim que publicadas no Diário Oficial da União (DOU). Qual o valor? Quantas parcelas? Quem terá direito? Saiba tudo na reportagem de Jéssica Sant’Ana.

Restrições. O auxílio emergencial é uma forma de amenizar os efeitos do recrudescimento da pandemia do coronavírus. Pesquisa realizada pelo Datafolha constatou que 71% dos entrevistados aprovam a redução do funcionamento do comércio e serviços, enquanto 59% defendem conter a Covid, mesmo que afete a economia.

Poupança. O avanço da pandemia levou os brasileiros a fazer uma “poupança forçada”, guardando pouco mais de R$ 265 milhões no segundo e terceiro trimestres do ano passado. Vandré Kramer conta o que deve acontecer com essa poupança.

Utilidade pública  

Senado em luto. Morreu nesta quinta-feira, aos 58 anos, o senador Major Olímpio (PSL-SP). Ele estava internado desde 3 de março, infectado pela Covid-19, e não resistiu ao agravamento da doença. Senador mais votado da história em 2018, com mais de 9 milhões de votos, ele estava em seu primeiro mandato na Casa. Em nota, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), lamentou a morte do colega e decretou luto oficial de 24 horas no Congresso. Relembre a história e a atuação de Olímpio.

AstraZeneca. Alemanha, França e Portugal anunciaram que vão retomar a vacinação com o imunizante da AstraZeneca, após serem descartados indícios de que a vacina causaria formação de coágulos sanguíneos. No Brasil, os três estados do Sul formaram um consórcio para aquisição de vacinas, que, caso sejam confirmadas, serão entregues ao Ministério da Saúde. Por falar no ministério, o presidente Jair Bolsonaro informou que Eduardo Pazuello se despede hoje do comando da pasta.

Atualização. O Brasil registrou entre quarta (17) e quinta-feira (18) mais 2.724 mortes por Covid-19 e 86.982 novos casos da doença, segundo o boletim do Ministério da Saúde. Ao todo, o Brasil já contabiliza 11.780.820 diagnósticos positivos, com 287.449 óbitos e 10.339.432 recuperados.

Política e economia

Renúncia no BB. A presidência do Banco do Brasil vai mudar de mãos. A instituição comunicou que André Brandão renunciou ao cargo e não é mais presidente do banco. O indicado para assumir a presidência é Fausto de Andrade Ribeiro, atual diretor-presidente da BB Consórcios. As incertezas sobre a permanência de Brandão começaram em janeiro, após o anúncio dos programas de demissão voluntária e fechamento de agências. Entenda o processo de desgaste que culminou na renúncia.

Eleições 2022. O governador de São Paulo, João Doria, declarou recentemente que pode abrir mão de concorrer à Presidência da República para disputar a reeleição. Ao invés de frustrar seu partido, o PSDB, a declaração acabou sendo recebida com alívio. Wesley Oliveira explica por quê. Olavo Soares mostra como estão se planejando os movimentos de renovação política, responsáveis pela eleição de novos nomes em 2018. Quer saber mais? Baixe o nosso e-book Dossiê 2022, com análise de 29 especialistas e que antecipa os temas que vão influenciar o debate da eleição presidencial.

Giro pelo mundo. O presidente da Rússia, Vladimir Putin, respondeu às acusações do presidente dos EUA, que o chamou de “assassino”. Veja o que disse o russo. Já o presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez, conseguiu escapar do processo de impeachment, motivado por sua atuação no combate à pandemia. E a Espanha se tornou o quinto país do mundo a regularizar a eutanásia.

O que mais você precisa saber hoje

Ações políticas. Conheça os laboratórios de ativismo de esquerda que funcionam dentro da UFRJ

História. O que foi o Terror Vermelho, a campanha bolchevique de intimidação e assassinatos

Covid-19. Grupo de médicos instala outdoors sobre tratamento precoce em Curitiba

Mercado. Exportação de vinhos brasileiros avança 325% em cinco anos para os EUA e China

Colunas e artigos

Criminalidade. O prefeito de Portland, nos Estados Unidos, cortou verbas da polícia para satisfazer manifestantes. Resultado: a criminalidade disparou e a cidade vive novos protestos, como revela o artigo de Jarrett Stepman, do Daily Signal. Flavio Gordon relembra os horrores da revolução comunista e quão espantoso é ver pessoas celebrando-a como um grande feito humanista. E o que a esquerda quer com Luiza Trajano? Bruna Frascolla tem um palpite.

Nossa visão  

Seguro-desemprego. Com a pandemia entrando em uma fase mais aguda, forçando o fechamento de negócios em várias cidades e estados, a perspectiva de aumento do desemprego voltou a assustar, e está no radar da equipe econômica a reedição do Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda (BEm), que permite acordos de redução de jornada e salário, ou suspensão do contrato de trabalho. Para isso, o governo propõe mudar as regras do seguro-desemprego. Tema para o nosso novo editorial: As mudanças no seguro-desemprego.

A equipe econômica alega que as regras atuais do benefício criam um certo incentivo à informalidade e à fraude – pessoas que voltam a encontrar trabalho adiariam a formalização para acumular o salário e o seguro-desemprego por alguns meses. Mas, se é assim, a solução não está em medidas que punem também aqueles que permanecem desempregados e não recorrem a nenhum expediente ilícito, e sim no aumento da fiscalização e, principalmente, na remoção das travas que dificultam a contratação com carteira assinada.

Para inspirar

Ao mestre com carinho. Jose Villarruel viveu os últimos oito anos em um carro, enquanto trabalhava como professor substituto em uma escola do sul do estado norte-americano da Califórnia, para ajudar a sustentar sua família, incluindo sua esposa doente, que vive no México. Em seu aniversário, ele recebeu um presente e tanto: um cheque de 27 mil dólares. Acompanhe essa história. Aproveite o fim de semana para colocar em dia suas leituras da Gazeta do Povo!

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]