Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Bolsonaro em visita ao Bahrein: presidente estuda conceder reajuste a servidores.
Bolsonaro em visita ao Bahrein: presidente estuda conceder reajuste a servidores.| Foto: Valdenio Vieira/PR

O presidente Jair Bolsonaro acenou com a possibilidade de conceder reajuste salarial aos servidores públicos. Isso seria possível, de acordo com ele, graças ao espaço fiscal de R$ 91,6 bilhões aberto pela PEC dos precatórios. A declaração pegou de surpresa o relator do Orçamento na Câmara dos Deputados, Hugo Leal (PSD-RJ), que afirmou não haver espaço orçamentário para reajuste. Mas Bolsonaro acredita que é possível. Veja o que ele disse.

Eleições 2022. Uma ação protocolada no Supremo Tribunal Federal (STF) questiona a lei que cria a federação partidária, uma alternativa às coligações. Entenda como isso pode zerar as alianças nas eleições de 2022.

Articulações. Enquanto isso, os principais personagens da disputa seguem se articulando. Na Europa, Lula disse que só vai decidir no ano que vem se será candidato. Bolsonaro, por sua vez, segue as tratativas com o PL. Saiba quais as chances de o “casamento” ser mantido para 2022.

Política, Economia e Utilidade pública

Terceira dose para todos. O Ministério da Saúde anunciou que a terceira dose da vacina contra a Covid-19 será aplicada em todas as pessoas acima de 18 anos. A aplicação deverá acontecer cinco meses após a segunda dose. Veja outras informações sobre a medida.

Auxílio Brasil. Começa a ser pago nesta quarta-feira (17) o Auxílio Brasil, novo programa de transferência de renda do governo federal, que substitui o Bolsa Família. Quem vai receber? Quanto será pago? Como vai funcionar? Todos os detalhes estão na reportagem de Isabelle Barone.

Poder moderador. O ministro Dias Toffoli, do STF, afirmou que o Brasil já vive um “semipresidencialismo”, uma mistura do modelo presidencialista atual com a flexibilidade do parlamentarismo, tendo o Supremo como moderador. O que você acha dessa declaração? Vote na nossa enquete.

Giro pelo mundo. Um jogador da NBA, principal liga norte-americana de basquete, acusou o governo da China de envolvimento na extração forçada de órgãos. No Chile, o Senado rejeitou o pedido de impeachment contra o presidente Sebastián Piñera.

Nossa visão  

Conferência do clima. As negociações não foram fáceis, a ponto de o encerramento da COP-26 ter sido adiado em um dia, mas a conferência do clima realizada em Glasgow, na Escócia, terminou com um acordo assinado por 197 países sobre a “descarbonização” do planeta. Veja um trecho da opinião da Gazeta sobre o assunto:

A corrida por energia limpa é de suma importância, mas a marginalização imediata do combustível fóssil deixará para trás inúmeras nações mais pobres que, para se desenvolver, dependem dessa energia – que, se não é tão barata quanto a hidrelétrica, por exemplo, ainda custa menos que todas as demais opções “verdes”. São nações que, sozinhas, não serão capazes de fazer a transição para uma economia de baixo carbono sem ameaçar seu crescimento.

Leia o editorial na íntegra

O que mais você precisa saber hoje

Atividade econômica. Guedes diz que Brasil cresce acima da média mundial. O que dizem os números

Interferência estatal. A empresa que está sendo processada por “falta de diversidade”, sem base na lei

Projeto de lei. Como novo marco do setor elétrico pode (ou não) baratear a conta de luz

Ministro da Educação. Ribeiro: Enem não deve ter cunho ideológico nem de esquerda nem de direita

Colunas e artigos

Xadrez político para 2022. As movimentações para as eleições 2022 estão a todo vapor: Bolsonaro com o PL, PT se aproximando do PSDB e a entrada do ex-juiz Sergio Moro. Tudo isso é assunto para a edição desta semana do programa Hora do Strike, confira!

Thaméa Danelon explica por que a restrição imposta ao deputado Daniel Silveira nas redes sociais é inadequada.

Madeleine Lacsko comenta o caso do banheiro do McDonald’s, mais uma polêmica do marketing da lacração.

Para inspirar

A vida após a perda do cônjuge. Perder um cônjuge após 30, 40 ou 50 anos vivendo juntos é algo bastante difícil, que faz com que seja comum o idoso se sentir desorientado. Raquel Derevecki, do Sempre Família, mostra como a família pode ajudar nesse momento. Tenha um ótimo dia!

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]