Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Ministro Marcelo Queiroga voltou a depor na CPI da Covid.
Ministro Marcelo Queiroga voltou a depor na CPI da Covid.| Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Para começar este resumo de notícias. Em seu segundo depoimento à CPI da Covid, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, voltou a defender a vacinação e medidas de prevenção como o isolamento social e o uso de máscaras. Ele afirmou ainda que medicações como a cloroquina “não têm eficácia comprovada” contra a Covid-19. Enquanto governistas acreditam que Queiroga comprovou empenho do governo federal em combater a pandemia, na avaliação de senadores da oposição, o depoimento indicou que o “gabinete paralelo” tem força e orienta constantemente as decisões do governo sobre o enfrentamento da Covid.

Justificativas. Atendendo requisição do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), o governo justificou as violações de medidas restritivas cometidas pelo presidente Jair Bolsonaro dizendo que as ações contra a pandemia mostram que ele não foi irresponsável.

Quebra de sigilo. Nesta quarta (9) a CPI votar um requerimento para convocação e quebra de sigilo telefônico de Alexandre Marques, servidor do Tribunal de Contas da União (TCU) apontado como autor de um “relatório paralelo” sobre a pandemia. Olavo Soares tem os detalhes.

Utilidade pública  

Auxílio emergencial. O ministro da Economia, Paulo Guedes, confirmou que o governo federal deve prorrogar o auxílio emergencial 2021 por mais dois meses. Guedes assegurou ainda que o governo não fará populismo fiscal na busca pela reeleição do presidente Jair Bolsonaro.

Mais vacinas. A farmacêutica Pfizer apresentou uma nova oferta de vacinas ao governo brasileiro, mas dessa vez com foco para 2022. Para este ano, a expectativa é pelo uso das vacinas Sputnik V (russa) e Covaxin (indiana). Mas Jean Pecharki mostra que, pelo menos em um primeiro momento, o uso delas deve ter efeito limitado.

Atualização. O Brasil registrou nesta terça (8) mais 2.378 mortes por Covid-19 e 52.911 novos casos da doença, segundo boletim do Ministério da Saúde. Ao todo, o Brasil já contabiliza 17.037.129 diagnósticos positivos e 476.972 óbitos. Quanto à vacinação, até o momento foram imunizados 51.055.813 com a primeira dose e 23.485.276 com a segunda.

Política e economia

Plantio de maconha. A comissão especial da Câmara dos Deputados aprovou o substitutivo ao projeto de lei 399/2015, que libera o plantio da maconha para fins medicinais, comerciais e industriais. Existe uma possibilidade de o projeto ser votado no plenário da Câmara antes de seguir ao Senado. Confira quem votou a favor e contra a proposta.

Copa América. O Supremo Tribunal Federal (STF) marcou para quinta-feira (10) o julgamento de duas ações que pedem a suspensão da Copa América no Brasil. Os pedidos foram feitos pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB) e pela Confederação Nacional de Trabalhadores Metalúrgicos (CNTM). Saiba como será o julgamento.

Giro pelo mundo. Um relatório do Senado norte-americano diz que a resposta da polícia aos protestos raciais dificultou a repressão à invasão do Capitólio, no fim do ano passado. Ainda nos EUA, um aplicativo de mensagem ajudou o FBI a prender mais de 800 criminosos. Na Nicarágua, a polícia prendeu o terceiro pré-candidato da oposição à presidência em dez dias.

O que mais você precisa saber hoje

Ensino superior. Universidades federais gastam quase 90% em salários. Qual é a melhor saída para sanear contas?

Câmara. Como ficou a PEC da prisão em segunda instância, uma das bandeiras da Lava Jato

Previdência. O que muda na aposentadoria com o julgamento da “revisão da vida toda” no STF

Indicação. Como André Mendonça venceu resistências e se tornou superfavorito para vaga no STF

Colunas e artigos

Inquérito das fake news. Instaurado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em 2019, o inquérito das fake news apresenta uma série de irregularidades. Em sua coluna, Thaméa Danelon explica nove delas. Madeleine Lacsko analisa as eleições presidenciais no Peru e mostra quão difícil é a escolha para o país. E Bruna Frascolla fala das ex-fake news trazidas à tona pelo documentário “Plandemic”.

Nossa visão  

Uso político da OAB. São poucas as instituições da sociedade civil organizada com um histórico de serviços prestados ao país tão relevante quanto a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Esta credibilidade, no entanto, está sendo colocada em risco pelo atual presidente do Conselho Federal, Felipe Santa Cruz, que vem empenhando o prestígio da posição que ocupa para alavancar ambições eleitorais no pleito de outubro do ano que vem. Tema para o nosso editorial: Felipe Santa Cruz e o uso político-partidário da OAB.

Ao longo das últimas décadas, os brasileiros se acostumaram a enxergar a OAB como um baluarte na defesa das liberdades democráticas e a confiar na entidade. Santa Cruz, no entanto, vem envolvendo perigosamente a Ordem naquilo que Hélio Gomes Coelho Júnior, um ex-integrante do Conselho Federal da OAB, chamou de “pautas miúdas”, e com isso coloca em xeque uma credibilidade construída a duras penas.

Para inspirar

Oscar do design. Três estudantes da Universidade Federal do Paraná (UFPR) foram laureados com o iF Desing Talent Awards 2021, prêmio alemão considerado o “Oscar do design” para jovens talentos. Eles desenvolveram um biotecido criado a partir de bactérias e fungos. Luan Galani, da Haus, detalha a ideia. Tenha um ótimo dia!

5 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]