i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Editorial

A educação na era da internet

  • PorGazeta do Povo
  • 18/11/2019 18:57
A educação na era da internet
| Foto: Reprodução

A educação básica significa o desenvolvimento da criança, no estágio inicial, pelo domínio do alfabeto, a formação das palavras, a construção de frases, a aprendizagem da escrita, a capacidade de leitura e o domínio das operações matemáticas simples – o que antigamente se chamava “educação primária” –, seguido pelo segundo estágio, em que o estudante aperfeiçoa sua capacidade de ler, escrever, raciocinar, argumentar e operar com o idioma nacional, com ampliação de sua formação por meio da matemática, geografia, história, ciências da natureza, ciências sociais e outras destinadas à educação moral e à cidadania.

No Brasil, a educação básica compreende a educação infantil, o ensino fundamental e o ensino médio. A Lei 9.394/96, conhecida como Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), define que “a educação básica tem por finalidades desenvolver o educando, assegurar-lhe a formação comum indispensável para o exercício da cidadania e fornecer-lhe meios para progredir no trabalho e em estudos posteriores”. Quanto à educação infantil, sua finalidade é complementar a ação da família e da comunidade no desenvolvimento físico, psicológico, intelectual e social da criança até os 6 anos. Depois da educação básica, vem a educação superior – também conhecida como ensino universitário – que é, em geral, profissionalizante à medida que o diplomado adquire o direito de exercer as prerrogativas da profissão do curso escolhido.

Como quase sempre acontece com as políticas públicas brasileiras, a estrutura educacional tornou-se um gigante disforme

A responsabilidade pela oferta da educação é partilhada; no setor público, como regra geral, cabe aos municípios a oferta da educação infantil e das séries iniciais do ensino fundamental; os estados respondem pela oferta das séries finais do ensino fundamental e pelo ensino médio; e o ensino superior compete principalmente à União. Para o custeio da educação em termos gerais, os três entes federativos devem atuar em conjunto por meio da distribuição de tributos e de cooperação técnica e financeira entre si. Na prática, tanto a responsabilidade pela oferta da educação quanto a cooperação financeira têm variações, como a oferta de ensino superior pelos estados e, também, por alguns municípios.

Infelizmente, como quase sempre acontece com as políticas públicas brasileiras, a estrutura educacional tornou-se um gigante disforme – como no fato de, em um mesmo município, os três entes da Federação manterem escolas dos mesmos níveis –, e a distribuição dos recursos de tributos tornou-se fonte permanente de conflitos entre prefeituras, governos estaduais e União. O quadro distorcido da estrutura educacional é tal que há uma inversão completa à medida que o estudante avança: enquanto quase 75% dos alunos da educação básica estão em instituições públicas, no ensino superior 75% dos matriculados estão em faculdades e universidades privadas.

Esse panorama, se olhado à luz da Constituição e da LDB, conduz à conclusão de que o Brasil tem uma série de problemas essenciais em relação à educação em sentido geral, entre os quais está o desafio de elevar os níveis de qualidade da aprendizagem. O cenário atual é trágico, bastando verificar as avaliações de alunos brasileiros em testes internacionais, nos quais o Brasil ocupa sempre as últimas colocações. Para resolver esses problemas, o país precisa debater a questão dos recursos destinados à educação e, também, políticas para resolver outros problemas estruturais, como salários de professores, condições físicas das escolas, provimento de material didático e aproveitamento das tecnologias modernas já incorporadas à educação em vários países.

Uma indagação se destaca nesse cenário: o que o Brasil está fazendo para se beneficiar dos enormes avanços tecnológicos advindos da internet, da telefonia móvel e da inteligência artificial na educação? O processo de formação e expansão do conhecimento, até pela evolução dos meios tecnológicos disponíveis, vai muito além da sala de aula e da escola formal. Um estudante de hoje tem à sua disposição um elenco de opções em bibliotecas, filmes, vídeos, textos, imagens, blogs, sites e demais recursos do mundo digital – sobretudo após o surgimento da internet, dos e-books e da telefonia móvel – que lhe dá acesso a um mundo inimaginável para um estudante de 50 anos atrás, mesmo com todas as opções de aprendizado, inclusive gratuitas, disponíveis à época.

A questão é que esses recursos maravilhosos da tecnologia devem ir para a sala de aula – e outros ambientes formais de aprendizagem – durante toda a educação básica e, por óbvio, na educação superior, o que implica a obrigação do governo em relação à definição e implantação de políticas públicas quanto à incorporação dessas tecnologias na educação. Há, como sempre, as limitações orçamentárias. Mas uma questão sobre a qual pouco se fala é: quanto o país economizaria, especialmente em relação à necessidade de pessoal, se o sistema educacional fosse todo modernizado com as tecnologias disponíveis no mundo?

Não há resposta fácil e rápida para todas essas questões, razão pela qual é preciso pesquisar e estudar o assunto de forma séria e com metodologia científica. O simples argumento da escassez de recursos não justifica a ausência da discussão e dos estudos a respeito. Além disso, há outra questão não menos importante: qual seria o ganho de qualidade obtido, capaz de tirar o Brasil das últimas posições nas avaliações internacionais? De resto, o problema não diz respeito a mera posição em rankings mundiais, mas ao fato de que o Brasil precisa melhorar o nível educacional dos alunos egressos das escolas em todos os níveis.

6 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 6 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • R

    Rômulo Viel

    ± 0 minutos

    O ensino de base ainda é o nosso principal problema.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • P

    PAULO OLIVEIRA

    ± 6 horas

    Não é a toa que vemos todos os anos educadores protestando na frente de palácios de governo e assembleias legistavas reivindicando melhorias ou para garantir o que já se tem, basta aparecer qualquer reportagem neste jornal que já julgam estar tudo errado. PROFESSORES (as) DO PARANÁ NÃO ACEITEM ISSO .

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    4 Respostas
    • M

      Maria Isabel Silva Ramos

      ± 2 horas

      É preciso melhorar o nível geral dos professores. Carecem de polidez, de conhecimento e de treino para o magistério. Muito treino. Tecnologia em mãos inaptas é inútil.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • A

      Ae Carvalho

      ± 3 horas

      William Bones: Paulo Freire já morreu. Só falta ser enterrado pra sempre!

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • W

      William Bones

      ± 3 horas

      Só pra constar: https://www.gazetadopovo.com.br/educacao/professor-e-demitido-depois-de-ensinar-criancas-de-10-anos-sobre-sobre-sexo-oral-e-anal/

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • W

      William Bones

      ± 3 horas

      Então vocês acham que tudo pode mudar, menos o sistema de ensino? Mas o que é isso? O sistema de ensino é o primeiro que deve ser modificado nesse país para um futuro decente para essas crianças e jovens. Ou vão ser eternos reféns da ignorância. O mundo mudou, a tecnologia chegou e o Paulo Freire morreu.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

Fim dos comentários.