i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Editorial

A cautela do Copom

  • PorGazeta do Povo
  • 21/01/2021 21:37
Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central manteve a taxa Selic em 2% ao ano pela quarta vez seguida.
Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central manteve a taxa Selic em 2% ao ano pela quarta vez seguida.| Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Na última reunião do ano passado, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central havia mantido a taxa Selic em 2% ao ano, mas com um aviso: a época de maior previsibilidade estava chegando ao fim. O forward guidance – uma espécie de “antecipação” de decisões futuras do comitê, desde que mantidas certas condições –, que havia sido adotado em agosto do ano passado, poderia ser abandonado, avisou o Copom no início de dezembro. Pois foi justamente o que ocorreu nesta semana, em que os membros do comitê mantiveram a Selic em 2%, mas afirmaram que há muita incerteza no ar para que se possa fazer qualquer sinalização a respeito do que acontecerá na próxima reunião.

Quando o Copom passou a trabalhar com o forward guidance, estabeleceu três condições para que os juros continuassem no patamar atual: as expectativas de inflação no chamado “horizonte relevante” (que para o Copom é o próximo ano), as expectativas de inflação no longo prazo e a política fiscal precisariam estar sob controle. Pela primeira vez em seis meses, “o Copom avalia que essas condições deixaram de ser satisfeitas”, de acordo com o comunicado emitido ao fim da reunião desta semana.

Muitos fatores que influenciam a decisão sobre os juros são incontroláveis; o pouco que depende exclusivamente de Brasília precisa entrar de vez na agenda política e ser encarado como prioridade

Os últimos 45 dias trouxeram uma série de notícias preocupantes. O IPCA, a inflação oficial, terminou 2020 ligeiramente acima da meta do Banco Central, ainda que dentro da faixa de tolerância – 4,52% contra uma meta de 4%. Para este ano, a meta é de 3,75% e a projeção citada no comunicado já está em 3,6%. O choque inflacionário recente continua a ser visto como algo temporário, mas ao mesmo tempo o Copom admite que ele está durando mais que o previsto inicialmente.

Mas a inflação está longe de ser a única preocupação. Ao mesmo tempo em que vários países iniciam a vacinação contra a Covid-19 – e o Brasil também o faz, ainda que em marcha lenta –, novas variantes do coronavírus exigem atenção, já causam novos efeitos negativos sobre a economia e levantam dúvidas sobre o quanto as vacinas atuais serão capazes de proteger a população também contra essas novas cepas. Além disso, persiste a indefinição sobre o futuro das reformas e do ajuste fiscal brasileiro. O comunicado não menciona a eleição para as presidências da Câmara e do Senado, mas elas serão decisivas, pois os eleitos, ao definirem as pautas e apontarem relatores, serão fundamentais para o sucesso ou o fracasso das reformas.

Com tamanha indefinição em tantas áreas, o forward guidance, por mais útil que fosse para que governo e setor produtivo planejassem os próximos passos, fica inviável. A partir de agora, a análise será sempre feita de acordo com a situação presente em cada reunião. O Copom fez questão de ressaltar que o fim do forward guidance não significa automaticamente um aumento nos juros, mas apenas o fim de uma época de previsibilidade na definição da Selic. O cenário atual continua pedindo juros baixos, afirmam os membros do comitê.

Eliminar completamente a incerteza é impossível, tantos são os fatores que independem da ação de qualquer ator político. Justamente por isso, o pouco que depende exclusivamente de Brasília precisa entrar de vez na agenda política e ser encarado como prioridade: seguir com as reformas, sem desidratá-las; aprovar e realizar as privatizações; preservar o teto de gastos e abandonar gambiarras orçamentárias; colocar esforços para que a campanha de vacinação contra a Covid-19 ganhe velocidade e abrangência. Se Executivo e Legislativo fizerem sua parte, poderão contribuir para que os juros se mantenham baixos; se tratarem as reformas e a Covid-19 com displicência, não haverá milagre que sustente a Selic no patamar atual.

7 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 7 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

  • W

    WILSON MUGNAINI

    22/01/2021 15:49:08

    Realmente estão preocupadíssimos com os pequenos poupadores que terão mais um ano de rendimento negativos da caderneta de poupança? Menos de 2% a.a. com uma inflação de 4,5%. Título do Tesouro Selic a 2% a.a. menos imposto de renda? Afffffff

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • S

      Spartacus

      22/01/2021 14:42:34

      Inflação disparada e sem nenhum controle, supermercados fazendo a festa e aumentando preços sem necessidade. Carros com preços siderais vê esses incompetentes do Copom deixam a SELIC TRAVADA?

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

      • S

        Spartacus

        22/01/2021 13:08:17

        O Brasil tem de parar de copiar os americanos. Aqui nós temos o SHIT GUIDANCE

        Denunciar abuso

        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

        Qual é o problema nesse comentário?

        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

        Confira os Termos de Uso

        • S

          Sergio

          22/01/2021 13:04:30

          Para melhorar a qualidade das reportagens em geral, os comentários que enriquecem o texto deveriam estar visível no rodapé. Só aparecem ao clicar.

          Denunciar abuso

          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

          Qual é o problema nesse comentário?

          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

          Confira os Termos de Uso

          • M

            MdJ

            22/01/2021 12:56:43

            Selic a 2,75%

            Denunciar abuso

            A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

            Qual é o problema nesse comentário?

            Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

            Confira os Termos de Uso

            • H

              Hugo Dalla Zanna

              22/01/2021 10:44:19

              Selic a 3% em duas reuniões!

              Denunciar abuso

              A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

              Qual é o problema nesse comentário?

              Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

              Confira os Termos de Uso

              • H

                Hugo Dalla Zanna

                22/01/2021 10:44:19

                Selic a 3% em duas reuniões!

                Denunciar abuso

                A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                Qual é o problema nesse comentário?

                Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                Confira os Termos de Uso

                Fim dos comentários.