i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Editorial

Os números bons e ruins do emprego

  • PorGazeta do Povo
  • 30/09/2020 22:01
Programa Verde Amarelo, de incentivo ao emprego, é aprovado na Câmara dos Deputados
Brasil criou quase 250 mil vagas de trabalho com carteira assinada em agosto de 2020, segundo o Caged.| Foto: Ana Volpe/Agência Senado

O pior momento da crise econômica causada pela pandemia de Covid-19 já ficou para trás? A julgar por dois dados relativos ao emprego no Brasil, ainda é difícil saber. O Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, do Ministério da Economia, traz números positivos para agosto, com a criação de 249 mil postos de trabalho com carteira assinada. É o segundo mês consecutivo com saldo positivo (em julho foram 131 mil novas vagas), depois de uma sequência de quatro meses, de março a junho, com mais demissões que contratações.

O mesmo otimismo trazido pelo número total do Caged se mantém quando os números são desmembrados. Isso porque, ao contrário de julho, quando o ramo de serviços ainda demitiu mais que contratou, em agosto todos os setores tiveram saldo positivo, puxados pela indústria de transformação, com quase 93 mil novas vagas. Também na distribuição geográfica houve melhorias, com todos os estados brasileiros e o Distrito Federal registrando aumento no emprego com carteira assinada – em julho, Rio de Janeiro, Sergipe e Amapá haviam registrado mais demissões que contratações.

Mesmo quem se propõe a enxergar o copo meio cheio, priorizando os números do Caged, haverá de admitir que a situação do emprego ainda está longe de ser confortável

Ainda há muito emprego a recuperar, no entanto: no acumulado do ano, o Caged registra o fechamento de 849 mil vagas de emprego formais. A retomada, depois que a pandemia causou um impacto devastador e rápido na economia mundial, sempre será mais lenta. Muitas empresas que geravam empregos estão perdidas; as que sobreviveram não necessariamente já recuperaram a mesma capacidade de antes. A demanda também continuará baixa por algum tempo em muitos setores, como os que envolvem algum tipo de contato humano, a exemplo de restaurantes e eventos, ou os de produtos considerados mais supérfluos, cuja compra pode ser adiada por famílias cuja situação financeira ainda é incerta.

Se os dados do Caged precisam ser comemorados, o IBGE traz um quadro mais sombrio, com o aumento na taxa de desemprego medida pela Pnad Contínua: recorde de 13,8% no trimestre encerrado em julho, o equivalente a 13,1 milhões de brasileiros. Neste mesmo período, a população ocupada caiu 8,1%, passando a 82 milhões, enquanto o nível de ocupação baixou para 47,1% - ambos os números são os mais baixos da série histórica iniciada em 2012. Ao contrário do Caged, que contempla apenas as vagas de trabalho formais, o conceito de “população ocupada” do IBGE inclui empregados com e sem carteira assinada, domésticos, servidores públicos, empregadores e pessoas que trabalham por conta própria.

Alguns aspectos, aqui, precisam ser levados em conta: a porcentagem de desempregados, por exemplo, considera aqueles que não estão trabalhando, mas estão buscando uma colocação no mercado de trabalho – os que não têm emprego e não estão à procura são considerados “desalentados”. Os próprios analistas do IBGE afirmam que as regras mais drásticas de distanciamento e isolamento atrapalharam a busca por emprego de muitos brasileiros e podem afetar os números tanto de desempregados quanto de desalentados. Além disso, os números do IBGE, por se referirem ao trimestre encerrado em julho, ainda não contemplam a geração de emprego formal em agosto registrada no Caged.

Mesmo quem se propõe a enxergar o copo meio cheio, priorizando os números do Caged, haverá de admitir que a situação do emprego ainda está longe de ser confortável, e que é preciso encontrar meios de manter os postos de trabalho atuais e estimular a geração de empregos. A permissão para fazer acordos de preservação de emprego, por meio da redução proporcional de jornada e salário ou da suspensão temporária do contrato de trabalho, deve ser prorrogada por mais dois meses, afirmou nesta quarta-feira o Ministério da Economia. A manutenção da desoneração da folha de pagamento de 17 setores da economia em 2021 depende da derrubada de um veto do presidente Jair Bolsonaro, mas o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), adiou mais uma vez a sessão que trataria do tema. Nestes dias em que tanto se discute o Renda Cidadã e suas fontes de financiamento, é oportuno lembrar a frase do ex-presidente norte-americano Ronald Reagan, para quem “o melhor programa social é um emprego”. Que todo o debate sobre a ajuda aos mais vulneráveis não leve os gestores a esquecer da tão falada “porta de saída” dos benefícios sociais.

2 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 2 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • N

    Nm

    ± 1 horas

    Comparando os números de hoje e do "governo" Dilma, são melhores que se podia esperar, depois de um "fecha tudo" feito na louca, sem nehum planejamento e sem critério algum.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • V

    VBSB

    ± 11 horas

    Materia podre.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

Fim dos comentários.