i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Editorial

A inflação acelera, mas ainda não assusta

  • PorGazeta do Povo
  • 09/11/2020 16:50
Preço dos alimentos subiu bastante em 2020: arroz e feijão preto estão entre itens com maiores altas
Alimentos, especialmente arroz, óleo de soja e carnes, voltaram a ser os protagonistas do avanço do IPCA em outubro.| Foto: Arquivo/Gazeta do Povo

Em uma repetição de setembro, novamente os setores de alimentos e transportes, especialmente arroz e óleo de soja, jogaram a inflação para cima em outubro. O IPCA, índice oficial medido pelo IBGE, subiu 0,86%, acelerando na comparação com o mês anterior, quando a alta foi de 0,64%. Esta foi a maior inflação para um mês de outubro desde 2002; no acumulado do ano, o IPCA está em 2,22% e, no acumulado dos últimos 12 meses, é de 3,92%, bem perto do centro da meta de inflação do Banco Central, de 4%.

Apesar da aceleração da inflação em outubro, persiste a avaliação de que se trata de um avanço circunstancial, com causas bastante específicas, e não de um possível retorno da pressão inflacionária que o país viu pela última vez em 2015 e, em menor grau, em 2016. Os produtos que puxaram a alta do mês passado foram basicamente os mesmos de setembro, com diferenças bem pontuais – as passagens aéreas, por exemplo, subiram quase 40% no mês, refletindo uma maior demanda pelo serviço à medida que vão caindo as restrições à movimentação de pessoas por causa da pandemia de Covid-19. O dólar continua bastante favorável às exportações, o que reduz a oferta interna de produtos do agronegócio, e a demanda segue em alta graças a programas como o auxílio emergencial, que ajudam as famílias a manter pelo menos parte de sua renda no pré-pandemia.

O que mais preocupa os membros do Copom não é a trajetória da inflação, mas a questão fiscal

Esta foi a avaliação do Copom, a julgar pela ata de sua mais recente reunião, realizada antes da divulgação do IPCA de outubro. “As últimas leituras de inflação foram acima do esperado, e o Comitê elevou sua projeção para os meses restantes de 2020. Contribuem para essa revisão a continuidade da alta nos preços dos alimentos e de bens industriais, consequência da depreciação persistente do real, da elevação de preço das commodities e dos programas de transferência de renda”, afirma o documento.

Alguns destes fatores podem mudar em breve. Uma queda substancial do dólar, a ponto de desestimular as exportações, talvez ainda esteja longe de ocorrer, mas a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, afirmou que no início de 2021, com a colheita da nova safra, o preço do arroz deve diminuir. Além disso, o auxílio emergencial será pago apenas até dezembro deste ano, e o diretor de Política Econômica do Banco Central, Fabio Kanczuk, disse na sexta-feira que o consumo deve cair entre a população mais pobre com o fim do benefício. Por fim, ainda há muita indefinição sobre o Renda Cidadã, que Jair Bolsonaro deseja implantar.

O Copom também reconhece essas possibilidades em sua ata. “Por um lado, a normalização parcial dos preços ainda deprimidos deve continuar, em um contexto de recuperação dos índices de mobilidade e do nível de atividade. Por outro lado, espera-se a reversão na elevação extraordinária dos preços de alguns produtos, afetados por redução provisória na oferta em conjunção com um aumento ocasional na demanda”, diz o texto, que explica com mais detalhes os motivos que levaram o Copom a manter a Selic nos atuais 2%.

“Apesar de a pressão inflacionária ter sido mais forte que a esperada, o Comitê mantém o diagnóstico de que esse choque é temporário, mas monitora sua evolução com atenção”, continua a ata, acrescentando que a expectativa revisada para o IPCA de 2020 é de 3,1% – mais perto do piso que do centro da meta. De fato, o que mais preocupa os membros do Copom não é a trajetória da inflação, mas a questão fiscal, com o alarmante aumento da dívida pública como porcentagem do PIB e as pressões políticas para que o país escape da trajetória de ajuste fiscal iniciada em 2016. E já não basta o respeito formal ao teto de gastos, pois o Copom afirma que “alterações de política fiscal que afetem a trajetória da dívida pública ou comprometam a âncora fiscal motivariam uma reavaliação, mesmo que o teto dos gastos ainda esteja nominalmente mantido”.

Daí a importância das discussões a respeito do orçamento de 2021, dos projetos de emenda à Constituição que buscam desengessar o gasto público, das reformas que enxuguem o Estado e o tornem mais eficiente. A manutenção da inflação baixa está diretamente condicionada à responsabilidade fiscal; se Executivo e Legislativo realmente estão empenhados em beneficiar os mais pobres, o melhor que podem fazer é manter as contas públicas em ordem, gerando confiança que atrairá investimento e facilitará a retomada econômica com geração de emprego e renda.

10 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 10 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • L

    Luciano Mendes

    ± 6 horas

    Quem vai ao supermercado sabe bem o que está acontecendo.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • A

    alexandre

    ± 10 horas

    Isso significa que a gazeta não vai reajustar tão cedo...

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • E

    Eugênio

    ± 11 horas

    Vejo na prática um cenário um pouco diferente. O aumento de matéria prima como aço, cimento, madeira e plástico aumentam contconstantemente e vão refletir a longo prazo para um aumento da inflação. São setores com pouca concorrência, parece haver cartel e o governo está deixando rolar

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • S

    Spartacus

    ± 11 horas

    A inflação acelera E A Seliq continua congelada? Manipulação

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • E

    Emerson

    ± 12 horas

    Não assusta a todos e todas que de bolsos cheios estão, com contas bancárias cuspindo dinheiro e salários de patrão ou patroa, semelhante aos nossos políticos de plantão. Para o restante da desgraçada e sofredora parcela de assalariados, sim assusta demais pois qualquer sacolinha do mercado não sai por menos de 50, 60 ou até 100 reais quase vazia.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • C

    carlos

    ± 12 horas

    Maldito seja bolsonaro

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • O

    Oliveira

    ± 13 horas

    Não preciso de índices do governo pra me dizer o quanto eu gasto nas minhas compras. As minhas compras obviamente já me apontam isso. E tá caro, tá muito caro. Um absurdo de caro. Tenho certeza q essas bombas estão programadas pra estourar depois das eleições.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • E

    elisangela alves laranjeira

    ± 13 horas

    Se a Gazeta está afirmando isso, cuidado!! Deve ser o contrário. Ultimamente a edição do jornal está toda equivocada. Perdeu-se o senso de ética e compostura. Lamentável!!!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    1 Respostas
    • P

      paulo cesar de castro silveira

      ± 11 horas

      Você é um petista infiltrado aqui?

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • J

    jose roberto jordao

    ± 21 horas

    Estou extremamente assustado com a inflação, que está camuflada, não sei porquê! Todos os preços dos alimentos em geral dispararam mais de 100% de 2 meses para cá. O óleo de soja, deR$ 2,99 em abril, hoje está a R$8,90. Onde vamos parar? Help! SOS.!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

Fim dos comentários.