O uso do ônibus é o melhor meio de desafogar nosso trânsito caótico, como bem demonstra a reportagem com três pessoas que resolveram deixar o carro em casa e usar meios alternativos por uma semana para se locomoverem pela cidade (Gazeta, 19/9). Sugiro que o jornal tente fazer uma campanha seguida de uma matéria semelhante, mas propondo aos nossos vereadores e demais políticos que façam a troca de meio de transporte! Garanto que não abrirão mão de seus motoristas particulares! Realmente não deixo o meu carro na garagem, pelo conforto que tenho, sem levar em conta o tempo gasto, o percurso que tenho de fazer diariamente de carro faço em torno de 20 minutos. De ônibus, levaria mais de uma hora!

Adriano de Brito

Carro na garagem 2

Me coloquei no lugar de cada uma das três pessoas que deixaram seus carros na garagem – um utilizou bicicleta, outro ônibus e um resolveu andar a pé pela cidade por uma semana. Sou apaixonado por bicicleta desde pequeno e hoje, com 33 anos, decidi ir ao trabalho de bicicleta. Realmente a cidade não está pensada para ciclistas nem para pedestres, mas sim para veículos. Logo no segundo dia quase fui atropelado por um ônibus que não sinalizou na hora de virar. O motorista seguiu como se nada tivesse acontecido. Tal acontecimento mostra que a cidade ainda tem de melhorar tanto na questão estrutura quanto na conscientização!

Rodrigo Mesadri

Infrações de trânsito

Parabéns pela matéria sobre as infrações de trânsito. O jornal está fazendo o papel de divulgar situações em que o usuário pode ter a suspensão do direito de dirigir, obrigação essa que deveria ser dos órgãos de trânsito com campanhas educativas, o que não ocorre. Observamos todos os dias infrações de trânsito, desrespeito à sinalização e às regras, mas é fácil detectar a irregularidade por parte dos agentes da Diretran, que também não cumprem o estabelecido na legislação, conduzem as motocicletas também com as viseiras do capacete erguidas, com farol apagado, estacionam irregularmente e outras infrações.

Nelson Carnieri

Transporte coletivo

As pessoas preferem os carros aos ônibus, pois querem conforto. A grande maioria não está preocupada com o ambiente, trânsito etc., e sim com o seu bem-estar. Se os ônibus da nossa cidade, que é considerada modelo em transporte coletivo, fossem mais eficientes, com maior número de veículos, isso diminuiria a quantidade de passageiros por metro quadrado.

Gislaine Coradin

Mau hálito

Não concordo com a ideia da profissional de saúde citada na matéria "Cuidado, você também pode ter mau hálito" (Gazeta, 20/9). Ela afirma que quase nunca a halitose é causada por falta de higiene. No próprio texto, ela mesma diz que a saburra que acumula na língua é a causadora. Numa escovação pode-se remover essa saburra.

Valter Sagava

Voto consciente

O voto consciente, devido a defeitos profundos da personalidade, caráter e à estrutura do nosso sistema político, é difícil de ser exercido, é tarefa quase que para profissional. Em primeiro lugar, você precisa deduzir inteligentemente, ou seja, pessoas razoáveis fazem regras baseadas em evidências, segundo, sem a pressão da escolha não pensamos criticamente, terceiro, sem o debate, o confronto de ideias, o compartilhamento de informações, fica impossível obter um diagnóstico decente e cauteloso.

Wendel Fernando de Paula

Recesso branco 1

Os deputados estaduais do Paraná concederam a eles mesmos o grande benefício de ganhar sem trabalhar. Agora vão defender suas causas particulares nas eleições, ganhando seus míseros R$ 12.500 sem trabalhar onde deveriam. Nos chamaram novamente de palhaços e ignorantes. Seremos sim, se eles forem reeleitos.

Carlos J. Barroso

Recesso branco 2

Os deputados receberem sem trabalhar na Assembleia é uma vergonha, uma verdadeira afronta para os trabalhadores brasileiros, que, se não comparecem ao emprego por algum motivo, têm seu salário descontado. Enquanto isso os que se dizem representantes do povo não trabalham e ainda querem receber.

Felix Miguel Lahud

Lula na eleição

O presidente da República, que frequentemente mostra o seu repúdio a determinadas instituições que questionam diversas ações suas, rasga a Constituição brasileira ao se despir da autoridade que o povo inteiro lhe conferiu e se transformar em cabo eleitoral nestas eleições. E ainda, com o criminoso uso de todos os recursos possíveis custeados pelos extorsivos tributos impostos ao cidadão. Fato muito preocupante!

Parreiras Rodrigues

Gastos em campanhas

Os candidatos gastam tanto em campanhas porque sabem que é fácil recuperar após eleitos, montando esquemas e tendo a certeza da impunidade, como nos casos dos diários secretos e do mensalão. Mesmo que seja descoberto um desses esquemas, nunca lhes é cobrado a devolução das fortunas desviadas dos cofres públicos.

Pedro Cristóvão Franz

Casa Civil 1

O que falta aos nossos governantes é a coragem política aliada à competência administrativa para pôr um fim a tantos vergonhosos escândalos ocorridos sistematicamente na Casa Civil. Qual é mesma a função desse ministério? Nos últimos anos tem se transformado no QG do nepotismo, corrupção, confusão em benefício próprio entre público e privado, tráfico de influências. Que os candidatos ao Executivo tenham a coragem pública e amor ao erário, propondo uma extinção de 50% dos ministérios ou secretarias estaduais, que certamente terão aprovação popular.

Sérgio Andrekowicz, União da Vitória, PR

Casa Civil 2

Tendo em vista a falta de discernimento dos nossos eleitores e o analfabetismo político do povo brasileiro, os escândalos da Casa Civil, Correios, Petrobras e outras dezenas de escândalos na administração Lula não vão interferir em nada nas eleições.

José Carlos Novisk

Parada gay

Como toda festa em que há álcool e drogas tem violência. Meu prédio, que fica ao lado de onde ocorreu a parada gay, todos os carros foram arrombados e vandalizados. Até quando vão associar álcool e drogas com festas?

Estevão G. B. Pontes

* * * * *

As mensagens devem ser enviadas à Redação com identificação do autor, endereço e telefone.

Em razão de espaço ou compreensão, os textos podem ser resumidos ou editados. O jornal se reserva, ainda, o direito de publicar ou não as colaborações.

Rua Pedro Ivo, 459 - Centro • Curitiba, PR - CEP 80010-020 • Tel.: (41) 3321-5999 - Fax: (41) 3321-5129.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]