Votar de dois em dois anos assegura à vida pública um saudável respiro (Gazeta, 8/6). A alternância dos pleitos melhora o planejamento e torna mais ágeis os ajustes recíprocos. Mexer nisso seria prejudicial à democracia brasileira e também representaria um retrocesso em termos administrativos. Medidas como essa consolidam uma casta política cada vez mais distante dos clamores da população.

Jaques Brand

Eleições unificadas 2

A unificação das eleições é a forma mais rápida de acabar com os políticos de carreira? Se for, apoio a medida. Quanto à dificuldade de identificação dos candidatos, acredito que isso é uma falácia, pois os marqueteiros forjam o caráter de qualquer político. Nossos políticos cada vez mais provam que na teoria são bons, mas, na prática, mostram o quanto estão longe da realidade da população.

Carlos Henrique de Oliveira

Eleições unificadas 3

A unificação das eleições é um desserviço à melhoria do processo político. O debate sobre as propostas – que hoje já é incipiente – ficará ainda mais fragilizado com a sobreposição das campanhas. O eleitor que hoje já precisa se esforçar para conhecer os candidatos, terá mais dificuldade para encontrar aquele com o qual se identifica. Com a unificação das eleições, as disputas nacional e estadual tendem a centralizar as atenções e a eleição municipal ficará em segundo plano. O voto a esmo do eleitorado tende a aumentar.

Hélio Rubens Godoy

Greve dos professores 1

A greve teve um ponto final ou apenas mais um triste episódio na vida de alunos? Eles terão muitas dificuldades pela frente em 2015. É um alívio o término da greve e esperamos que daqui para a frente a educação paranaense possa ter melhores momentos com cadernos sendo utilizados e calendário cumprido.

Emerson Pugsley

Greve dos professores 2

O fim da greve foi uma vitória do governo do Paraná. É inacreditável que os professores tenham passado por tantas situações e agora voltem ao trabalho sem ganhar absolutamente nada. Esse foi o maior enfrentamento contra um governo que assola a sociedade com impostos.

Valdir Freitas da Luz

Greve dos professores 3

Não é hora de procurar culpados pela paralisação; é hora de pensar sobre o porquê de se esperar a greve acontecer. É preciso que se cumpra o que manda o regulamento e então ninguém sofre. Esperaram a greve acontecer e depois tiveram que negociar na “marra”.

Antonio Adir Vaz

Greve dos professores 4

As crianças e os adolescentes não escolheram ficar mais de um mês sem aulas. E o que dizer dos que estão no 3º ano do Ensino Médio e pretendem prestar vestibular ou o Enem no fim do ano? A corda vai arrebentar para o lado deles, infelizmente.

Claudio Prevedello Bento

Assembleia Legislativa

A existência de uma bancada de apoio ao governo é incoerente com a função dos deputados. Eles devem fiscalizar a administração, estudar as necessidades do estado, propor e aprovar projetos que atendam com mais rapidez e eficiência às necessidades econômica, agrícola, educacional, social, industrial, comercial, política e de segurança da população. Não dá para aceitar a existência de uma bancada aliada ao governo nem de um representante do governo, pois isso compromete a autonomia do parlamentar.

Luiz Cezar Velozo

Fator previdenciário

Muitos contribuintes recolheram por mais de 20 anos sobre o teto máximo - que era de 20 salários mínimos -, com desconto em folha e o empregador pagando outro tanto. O benefício deveria ser de aproximadamente R$ 17 mil por mês. Mas a realidade é outra, pois junto com o fator previdenciário criou-se mais um “redutor”: o valor de contribuição, que é totalmente desvinculado do salário mínimo. Quem pagou e está pagando a conta são os aposentados. Agora somos despesa, mas já fomos contribuintes. O governo e os políticos encaram-nos como problema.

Jair Nisio

Impostos

Excelente o editorial “Mais governo, mais impostos” (Gazeta, 8/6). O governo, em qualquer esfera, gasta muito e mal. O que um político quer se não um orçamento cada vez maior? O problema é que esse modelo não funciona. Muitos governantes querem aumentar impostos para não precisar cortar privilégios, cargos e propinas.

João Queiroz

Inflação

Inflação mais alta significa mais juros, pois nenhum banco vai emprestar a taxas reais negativas. Quando os juros sobem, aqueles negócios que eram viáveis a taxas artificialmente baixas, mostram-se inviáveis. A recessão é a fase de reorganização da economia, em que alguns negócios são liquidados e, então, os recursos liberados são realocados para atender demandas genuínas dos consumidores. Quanto mais o governo continuar intervindo e não deixar essa realocação de recursos acontecer, mais a bolha vai continuar inflando.

Josinei Kosmoski

Corrupção no futebol e o petrolão

Ao se envolver para desvendar as irregularidades na Fifa, o FBI mostrou ao mundo como se age com rigor em relação aos malfeitos. Figurões do futebol foram presos de forma incomunicável e sem privilégios. Em outro caso de corrupção, o petrolão prejudicou investidores norte-americanos. Então o FBI poderia investigar e esclarecer essa situação nos mínimos detalhes. Seria uma forma de punir exemplarmente os infratores e restabelecer a credibilidade da Petrobras.

Humberto Schuwartz Soares, Vila Velha - ES
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]