Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

Se depender da Assembleia Legislativa do Paraná e de nossos excelentíssimos deputados, cancela-se até o Natal. A Justiça do Trabalho entende que o dia 19 de dezembro é feriado. No apagar das luzes, após 52 anos de existência da lei, votaram para acabar com ela. Podiam votar uma redução de 40% nos salários dos deputados. Não é uma boa?

Luiz Ribeiro

Feriado 2

A polêmica sobre o feriado de 19 de dezembro (Gazeta, 16/12) tem sentido, embora a atitude da Assembleia Legislativa configure mais um dos famosos "remendos à base de tratoraço", prática legislativa que se popularizou por aqui. De qualquer modo, a lei teria de ser alterada ou revogada, pois gera interpretações dúbias . A Lei Federal 9.093/95 declara que somente a "data magna" do estado pode ser feriado regional. E a Lei Estadual 4.658/62 não declara 19 de dezembro como tal. A emancipação do Paraná não se deu nessa data, mas sim em 29 de agosto de 1853, quando dom Pedro II promulgou a Lei Imperial 704. Marcelo Padilha

Segurança pública 1

O que está acontecendo na administração pública de nosso estado não é o caminho para tornar as forças policiais mais eficazes. Deveria ser implantando um plano de carreira progressiva, valorizando o profissional de segurança pública por meio de um sistema de avaliação de produtividade e eficácia. O bônus para o policial que fizer mais prisões (Gazeta, 16/12) vai criar um sistema de desigualdade entre a força policial. Aqueles que estão lotados em serviços administrativos, que são importantes de igual forma aos que estão atuando nas ruas, serão prejudicados. A secretaria precisa analisar e propor novas diretrizes. Alex Sandro Perez Santos

Segurança pública 2

Não sei se ganhar por achar armas seria a melhor solução. Combater as drogas, que estão acabando com as famílias e destruindo a paz de muitas mães, isto sim. Algumas medidas preventivas: tirar das ruas os adolescentes após as 22 horas, e proibir comércio e postos de gasolina de vender bebidas alcoólicas para eles.

Maria de Fátima Giovanni

Transporte coletivo

É impossível engolir essa história de que o sistema de ônibus de Curitiba dá prejuízo. A cada dia os veículos são mais eficientes; então, o custo deveria cair. Mas, com ônibus sempre atrasado, demorado, lotado, os passageiros fogem do transporte coletivo. Como a Urbs paga por quilômetro rodado, e não por número de passageiros, o déficit deveria ser dela e não das empresas, como os empresários alegam.

Sandro Klostermann

Bolsonaro

As declarações absurdas do deputado Jair Bolsonaro são uma afronta aos direitos das mulheres e aos princípios básicos da Declaração dos Direitos Humanos. Merece punição exemplar, com celeridade. Entretanto, a opinião pública, a mídia e os movimentos de direitos humanos deveriam perceber que essa estratégia é uma distração de assuntos realmente importantes. Eles estão sendo discutidos no Congresso e Senado e afetam diretamente todos os cidadãos. Os políticos e celebridades utilizam a polêmica como estratégia. Eles sabem que a maioria das pessoas recorda apenas dos nomes e nem sempre distingue os motivos.

Daniel Marques, historiador, Virginópolis – MG

Representação política 1

Concordo plenamente com o artigo "Passeatas já não adiantam mais" (Gazeta, 16/12). Sempre fui defensor da representação popular nos legislativos, sem a necessidade de pessoas que, depois de eleitas, tornam-se políticos profissionais. A representação popular, seja como deputado, senador ou vereador, deveria ser motivo de orgulho patriótico, e não como se institucionalizou. Fizeram dela meio de vida, como qualquer profissão.

João Candido de Oliveira Neto

Representação política 2

Excelente. É disso que precisamos. Para que pagar salários a vereadores e seus "aspones"? Para aparecerem duas vezes por semana e dar nomes a ruas? Que tal um conselho municipal de no máximo um representante por região de Curitiba, por exemplo? Não estaria de bom tamanho para levar as justas reivindicações ao Executivo municipal? O conselho fiscalizaria o Executivo, suas concorrências e concessões. Funciona assim em países de primeiro mundo. Por que não funcionaria aqui? Não adianta reclamar, nem fazer passeata, como diz o texto. Agir e propor.

Afonso Celso Frega Beraldi

Petrobras

Lembram-se daquele bordão "imagina na Copa"? Eu gostaria de lançar, agora, o "imagina antes da eleição". Isso só para que imaginemos o que teria acontecido com a eleição de outubro se esses colossais escândalos ocorridos na Petrobras – que a cada dia ficam maiores e que estão destruindo a empresa que era vista com orgulho por todos os brasileiros – tivessem sido desvendados antes.

Ronaldo Gomes Ferraz, Rio de Janeiro – RJ

Literatura

É interessante pensar na Curitiba literária (Gazeta, 16/12). Pensar assim me remete a um Paraná literário. E aí, sim, podemos encontrar iniciativas, encontros, feiras, palestras que antes não tinham espaço no estado. Já vejo algum progresso e veremos mais, se forem embutidas doses homeopáticas no dia a dia das pessoas. Daniele Fernanda Eckstein

Guerra do Paraguai

Achei o material sobre a Guerra do Paraguai muito bom. É muito pedagógico. A ilustração também é de primeira. Parabéns pelo texto e pela diversidade de informações. Os depoimentos dos paraguaios foram fundamentais.

Aimoré Indio do Brasil Arantes

Impostos

A Assembleia Legislativa do Paraná aprovou o aumento das taxas de cartórios. Quatro anos atrás, Tiririca, em sua campanha eleitoral, dizia que "não sabia o que um deputado federal fazia". Deve ter aprendido, mas não contou a ninguém nesta última campanha. Os deputados estaduais e federais são eleitos simplesmente para aprovar aumentos de impostos e taxas. Aumentam inclusive os seus próprios salários. Os vereadores não ficam distantes desse comportamento. A pergunta do Tiririca, agora, tem a sua resposta: deputado serve para aprovar aumentos de todos os encargos que o governo manda. Nada mais.

Geraldo Buss

Paranaprevidência

Sanar a Paranaprevidência foi a medida mais fácil de ser aplicada. Seria completa se incluísse o desconto aos juízes, promotores, ex-governadores e pensionistas de ex- governadores. Mais completa ainda: cobrando da própria Assembleia os valores descontados dos funcionários e que não são repassados para o órgão.

Fredy Weigert

Política

Apenas precisam ser alteradas duas coisas na política: acabar com a imunidade parlamentar e com o foro privilegiado. Cometeu erro, perde o cargo na hora e vai ser julgado na Justiça comum.

Luiz C. Segantini

Imóveis

Sobre a devolução de imóveis negociados, é bom para o consumidor que precisa e pode comprar um imóvel, mas não para os especuladores e construtoras que estavam "lavando a égua". Se pesquisarem o valor dos imóveis em outros países – e compararem com os do Brasil –, verão que há algo errado com o nosso país.

Melissa Oliveira

Copel

A direção da Copel, eufórica, noticia sua expansão para o Rio Grande do Norte, com instalações eólicas no valor de R$ 5 bilhões. Seus criadores, Ney Braga e Parigot de Souza, construíram a Copel para suprimento do estado, jamais apregoaram expansionismos com fins lucrativos. A experiência tem demonstrado que esses tentáculos externos se constituem como portas abertas para a corrupção, revestidos sempre de contabilidades maquiadas para os confortáveis desvios de dinheiro. Senhores deputados, fiquem em alerta e procurem se inteirar das verdadeiras intenções dessa inusitada expansão. Lembrem-se do Banestado e o Paraguai e, agora, da vergonha nacional com o desfecho da Petrobras em Pasadena.

Osman de Santa Cruz Arruda, advogado criminalista

Presente

Em cantinho de página dos jornais, uma das maiores e interessantes notícias: o dr. James Watson, detentor do Prêmio Nobel de Fisiologia e Medicina, de 1962, alegou dificuldades financeiras e vendeu sua medalha em leilão. A venda pública lhe rendeu a polpuda quantia de US$ 4,75 milhões. O comprador, Alisher Usmanov, o cidadão mais rico da Rússia, pasmem !, resolveu algo inédito: está devolvendo o laurel a seu proprietário. Alguém duvida de que este não tenha sido o maior presente de Natal?

Benedicto Bueno

CBV

Será que existe algum indicio de corrupção ou fraude na Confederação Brasileira de Vôlei? Ou são apenas coincidências? Daqui a pouco vem a Polícia Federal com a Operação Jornada nas Estrelas ou a Operação Ace para tirar o sono de mais alguns corruptos.

Luciano R. Ayres

Arena Boqueirão 1

Se acontecer a permuta entre a prefeitura de Curitiba e o Paraná Clube, espero que ao menos coloquem diretores de verdade e profissionais no clube, senão é chover no molhado. Se eles não têm competência administrativa e financeira para tocar um clube, vendam para aqueles que têm.

Airton Kraismann

Arena Boqueirão 2

O grande erro, na verdade, será o Paraná sair da Vila Capanema. No Boqueirão, ele não passará de um clube de bairro. No Estádio Durival Britto está a grandeza histórica do Clube Atlético Ferroviário. Pode-se até fazer um estádio bonitinho na Vila Olímpica, mas jamais será digno de um Paraná Clube. Se está apequenado hoje, tem na sua história a grandeza de seus antecessores. Não sei se a perda do Estádio Durival Britto e Silva é irremediável. Nem sei se os "grandes" advogados que representaram o Ferroviário, e depois o Colorado Esporte Clube, fizeram tudo o que era possível. Não sei. É lamentável.

Delso Carvalho

Agradecimento

A Gazeta do Povo agradece os votos de feliz Natal e próspero ano novo da Arquidiocese de Curitiba, Associação Brasileira de Agências de Viagens, Conselho Municipal de Educação de Curitiba, Editora Planeta, PR Newswire, Fontoura Rodrigues Advocacia, Imobiliária Sillos, Rede de Turismo Regional do Paraná, Claudio Prevedello Bento, Luiz Alberto Martins da Costa, Luiz Nusbaum, Veronica Mareth, Luiz Alberto Mareth da Costa, Paulo Panossian e Gilmar Cardoso.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]