i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Coluna do leitor

Sigilo fiscal 1

  • Porleitor@gazetadopovo.com.br
  • 28/08/2010 21:04

Tendo como princípio que responsabilidade não se delega, cabe ao presidente da República, devidamente informado pelos seus ministros das áreas pertinentes, esclarecer à população brasileira, tempestivamente, os episódios das quebras de sigilo tributário (Gazeta, 27/8), em órgãos sob a direção de alguns de seus nomeados, inclusive sobre o destino que foi dado a esses dados. Cabe aos meios de comunicação, não comprometidos de alguma forma com as forças políticas, cobrar insistentemente uma postura direta e positiva do governo.

Antonio Carlos Ferreira de Abreu Trindade

Sigilo fiscal 2

Realmente a Receita precisa blindar seus funcionários. Afinal, eles estão lá a mando de seus chefes. Deve haver um setor específico só para violar o sigilo fiscal daqueles que incomodam o governo. Tudo começou com a invasão na conta bancária do caseiro Francenildo e de lá para cá os trabalhos foram aperfeiçoados.

Izabel Avallone

Adoção

Até que enfim a Justiça deu um passo à frente contra o preconceito. Como mostra a matéria em que o casal homossexual, Toni Reis e David Harrad, obtiveram o aval da Justiça para adotar criança (Gazeta, 26/8). Não havia outro argumento para a não adoção que não fosse o preconceito. Em pleno século 21, na era da globalização, muitas pessoas ainda vivem na idade da pedra. Se pais ou mães solteiras conseguem criar seus filhos, por que um casal homossexual não teria essa capacidade? Precisamos de crianças bem cuidadas, amadas e educadas não importa por quem. A decisão mostra que a Justiça e a sociedade estão evoluindo, as crianças agradecem.

Débora Ianskoski

Paranaguá

União assumiu uma gestão mais efetiva do Porto de Paranaguá (Gazeta, 26/8), mas creio que muita ênfase tem sido dada à falta de dragagem do canal da Galheta, o que é pouco. Os berços de atracação do cais de Paranaguá também estão muito assoreados, motivando o encalhe frequente dos navios em horas de maré baixa. Essa limpeza necessária e inadiável tem sido sistematicamente esquecida pela administração portuária.

Gert J. Prange

Campanha eleitoral

As pessoas deixaram de ter tanto interesse nas propostas feitas pelos candidatos, talvez porque grande parte dessas ideias e propostas feitas pelos políticos nunca entra em prática, e as que entram não são inteiramente voltadas à necessidade da população. As pessoas não mais se iludem por todo discurso feito, precisa-se usar outros critérios para eleger um candidato, pois as propostas são só discursos. A corrupção depois da eleição dos candidatos é a prova de que mesmo os confiáveis fazem mau uso do poder.

Juliana Maczuga

Polícia

É incrível o que acontece com os bandidos que mexem com polícias. Os policiais se desdobram para conseguir ou prender ou matar tal criminoso, surgem varias operações, equipes de apoio, equipamentos para ajudar na procura para poder encontrar o suspeito de ter assassinado o delegado Zuba. Os envolvidos são presos, e até mesmo mortos muitas vezes em trocas de tiro. Mas, se o mesmo acontecer com um simples civil, alguns investigariam, mas nada seria encontrado e tudo seria arquivado. É uma pena as polícias serem só para elas mesmas! Espero que um dia isso mude, que a Justiça seja igual para todos.

Wellington R. de Oliveira

Sanepar

A notícia sobre os funcionários da Sanepar que morreram intoxicados na tarde de terça-feira em Guarapuava nos causa indignação (Gazeta, 25/8). Com base nos noticiários fica difícil ter certeza do que realmente aconteceu. Sendo a Sanepar um órgão público, cabe a todos nós a importância desse fato. Quais eram as situações de segurança no local? Pois se houvesse suporte para a realização de tais obras, talvez não tivesse acontecido tal fatalidade. A realização de cursos de segurança é fundamental, assim como suporte técnico, o que deixa a desejar em matéria de infraestrutura urbana.

Beatriz Strobel

Educação

Podemos identificar as preocupações e ambições dos jovens hoje sobre construir um futuro melhor, as consequências que acarretam uma educação precária e a falta de estímulo para o futuro (Gazeta, 26/8). Muitos jovens não têm a educação como prioridade. Isso nos leva a refletir como não conseguimos conciliar o desejo de sucesso profissional e a educação de qualidade. Não podemos deixar de citar que o estímulo educacional é o principal fator para quebrar o ciclo da pobreza na América Latina.

Andressa Caroline Pivovar

INSS

Estou indignada, pois enquanto os políticos só pensam em suas campanhas e em como conseguir mais votos, as perícias médicas, de que várias famílias dependem, estão totalmente paradas. Parece que ninguém liga, ninguém faz nada para resolver esse problema tão grave, mas que afeta somente as pessoas envolvidas com isso.

Raquel Meire

Crianças do Paquistão

Para sobreviver no Paquistão, as crianças têm de correr atrás de carros-pipa para conseguir um pouco de mantimentos. Devido às enchentes ocorridas no país, mais de 1.500 pessoas morreram e mais de 800 mil pessoas ficaram desabri­­gadas. Esses números são alarmantes, mostram como o país está em situação difícil. Creio que, se a população tivesse construído casas em lugares apropriados, isso não teria acontecido. Ninguém merece estar no meio de tanta desgraça.

André Luís Tauscheck Cezario

Falta de habilitação

Cada vez mais nos deparamos com adolescentes menores de 18 anos dirigindo pela cidade sem habilitação. Para chegar a tal conclusão, não é neces­­sário recorrer a estatísticas, basta sairmos às ruas e ob­­ser­­var atentamente para com­­provar a intensidade da si­­tua­­ção. Entretanto, não acredito que esse quadro seja rever­­sível, mesmo com a criação da medida qual prevê que os jovens flagrados ao volante devam assistir a palestras educativas, já que os próprios pais permitem tal hábito.

Thiago Luiz Severino

* * * * *

715 correspondências foram recebidas pela Gazeta do Povo na última semana.

Temas mais comentados

> Copa em Curitiba (25)

> Primeira-dama (24)

> Precatórios (20)

"A linha que liga o litoral paranaense até Foz do Iguaçu, passando obviamente por Curitiba têm um potencial enorme a ser explorado no evento Copa, hotéis, restaurantes e souvenires a serem consumidos."

Maugham Zaze

"Seria uma demagogia o estado não pagar a viagem da primeira-dama. A função dela é de ação social, ela não é uma figura decorativa no poder e durante a viagem é a melhor assessora do marido governante."

Yayá Petterle Portugal

"O precatório é uma divida líquida, certa e inquestionável. Se o Estado devedor não a liquida, torna-se inadimplente."

Waldir Simões de Assis

* * * * *

As mensagens devem ser enviadas à Redação com identificação do autor, endereço e telefone.

Em razão de espaço ou compreensão, os textos podem ser resumidos ou editados. O jornal se reserva, ainda, o direito de publicar ou não as colaborações.

Rua Pedro Ivo, 459 - Centro • Curitiba, PR - CEP 80010-020 • Tel.: (41) 3321-5999 - Fax: (41) 3321-5129.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.