O estacionamento da agência da Caixa Econômica aqui de Santa Felicidade foi terceirizado e toda cobrança vai em prol do Pequeno Cotolengo. Como o brasileiro é solidário nas doações, é mais uma forma de ajudar esta instituição que luta bravamente por melhores condições. Elogiável quem teve a idéia e a iniciativa. Outras empresas podem participar de alguma maneira a quem tanto necessita.

Celso FreitasCuritiba, PR

Indignação 1

Indignação! Revolta! Nojo! Descrença! Esses são sentimentos que a gente não deveria ter. Deveria afugentar; mas sentir o que diante de tal quadro? Quando éramos pequenos meu pai (que era militar) já dizia: façam o possível para nunca serem pegos pela polícia. Hoje eu entendo o que ele queria dizer. O que fazer?, todo mundo se pergunta. Em todas as rodinhas de conversa o assunto é este. Ninguém se conforma com o acontecido, parece um pesadelo. E o secretário de Segurança ainda diz que é impossível combater a criminalidade. O que será de nós, então? Se as pessoas que são pagas para nos defender agem desta forma, o que esperarmos daqui em diante? Só nós resta rezar e pedir proteção a Deus.

Celia M. Weiler, pedagogaCuritiba, PR

Indignação 2

Minha filha sofreu uma tentativa de assalto, no dia 9/8, às 15 h, em um semáforo no Jardim Botânico. Era só um pivete, e felizmente nada de mais grave aconteceu. Lembram do tempo em que a gente tinha que se preocupar só com o ladrão? Agora, tem o ladrão, o político, o policial... A concorrência está aumentando e a insegurança idem!

Hélio Azevedo de Castro, economiário aposentadoCuritiba, PR

Indignação 3

É o fundo do poço? Vemos diariamente a prisão de policiais militares, delegados da Polícia Civil e Federal, desembargadores, juízes, políticos do legislativo e executivo. É deprimente, revoltante e assustador. Em quem confiar? Com certeza as instituições são inteiramente confiáveis, mas é difícil aceitarmos o que vemos todos os dias. Como dizem, os exemplos vêm de cima. Assim como é desanimador ver essas imagens, há esperança em saber que o povo tem em suas mãos o poder de mudar este cenário.

Reinaldo MachadoCuritiba, PR

Polícia prestativa

O episódio em que maus policiais foram flagrados cometendo um crime de roubo em veículos é estarrecedor e indica que controles e supervisões mais constantes devem ser incrementadas pela alta cúpula da nossa Polícia Militar. No entanto, não se pode generalizar a crítica como aplicável a toda a corporação. Recentemente, ao prestar auxílio a um amigo que teve seu carro roubado em assalto, no centro de Curitiba, precisei acompanhá-lo até o posto policial de Fazenda Rio Grande, onde os soldados Antônio e Menine nos deram atendimento exemplar, tanto de conduta como de educação e urbanidade. Portanto, cadeia para os maus, mas elogios aos bons policiais.

Luiz Mário Lampert Marques Curitiba, PR

Câmeras

Minha sugestão para tentar coibir o alto índice de criminalidade no Largo da Ordem e adjacências é a instalação de câmeras de vídeo monitoradas pela polícia no posto do Largo. Assim teríamos pronta intervenção nos arrombamentos, principalmente com policiais de moto.

Francisco Maranhão, administradorCuritiba, PR

Visão encoberta

As autoridades de trânsito da cidade devem estar aguardando que ocorra um acidente mais violento para interferir nas esquinas das ruas Saldanha Marinho e Ermelino de Leão, em pleno centro da cidade. Quem vai de carro pela Saldanha Marinho encontra à esquerda, na outra via, duas filas de carros estacionados. Uma delas impede a visão do motorista. Este, para atravessar tranqüilo a Ermelino, tem que parar o veículo e olhar à esquerda. Bastaria que o estacionamento fosse diminuído em dois ou três automóveis, de forma a que o motorista vindo pela Saldanha Marinho tivesse maior visibilidade.

Paulo BittencourtCuritiba, PR

O joio e o trigo

Muito se fala sobre a escolha certa dos candidatos na hora do voto. É engraçado que eles só mostram que estão dispostos a mudar o Brasil no ano de eleição. Como diz aquele ditado: "temos que separar o joio do trigo". Mas há trigo? Ou o território do Brasil não é fértil?

Juliano Luiz dos Santos de Morais, estagiárioCuritiba, PR

Terrorismo na Inglaterra

Após a tentativa frustrada de justificar a execução sumária de Jean Charles de Menezes, a polícia britânica insiste em explicações no mínimo duvidosas. Ela afirma que prendeu 21 pessoas que planejavam um ataque em que seriam utilizados entre seis e nove aviões, após os terroristas, mesmo com explosivos líquidos, burlarem o sistema de segurança nos aeroportos, para depois explodi-los sobre o Oceano Atlântico. No meio do nada? Se o objetivo do terrorismo é promover o maior estrago possível, receio que novamente a história esteja mal contada.

Heitor Hayashi, autônomoCuritiba, PR

Lombada irregular

Curitiba ganha com a inovação turística: "a maior lombada do mundo". A Rua Francisco Derosso, no bairro Xaxim, foi a primeira rua a ter lombada eletrônica no Brasil. E agora tem sua mais nova atração. Um bela lombada na esquina da Rua Leôncio Lopes de Carvalho, totalmente em desacordo com a Resolução n.º 39 de 21/5/1998 que diz que estas ondulações deveriam possuir altura de no máximo 10 cm. Esta do Xaxim, com certeza, está próxima dos 25 cm de altura. Para nós, moradores do bairro, é com orgulho que apresentamos nossa maior obra de arte. Em breve tirarei fotos e colocarei na internet para ser divulgada no mundo inteiro.

Erlei Franceschi, microempresárioCuritiba, PR

Policial irritado

O caso do vigilante ao qual foi dado voz de prisão por ter cumprido com o dever – de pedir a um policial que se identificasse na entrada de um banco por estar portando arma – nos dá um panorama triste de como andam os valores neste país. Se um assaltante fizesse a mesma coisa, alegando que era policial e o segurança permitisse a entrada, como ficaria o fim deste epísódio? A cena deve ter mexido com o ego do policial: já pensou todos olhando ele chamar uma viatura e prender o trabalhador, como nos tempos de "mocinho e bandido"? Azar do segurança de ter desrespeitado a "otoridade"!

Paulo Cesar F. LoboCuritiba, PR

*****

As correspondências devem ser encaminhadas com identificação, endereço e profissão do remetente para a Coluna do Leitor – Gazeta do Povo, Praça Carlos Gomes, 4, CEP 80010-140 – Curitiba, PR. Fax (041) 3321-5472. E-mail leitor@gazetadopovo.com.br.

Em razão de espaço ou compreensão, os textos podem ser resumidos ou editados. O jornal se reserva o direito de publicar ou não as colaborações.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]