Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

Gostaria de saber das nossas autoridades por que não está sendo feito nada em relação à violência em nosso estado (Gazeta, 3/12). A imprensa como representante do povo deveria pegar mais no pé de nossas autoridades e cobrar providências. Nós só podemos contar com a imprensa, pois em nossos governantes já perdemos a esperança.

Daniele Quadros Weinhardt

Violência 2

Tiroteios entre traficantes, bloqueios de marginais em estradas, 20 homicídios (apenas na RMC) por fim de semana, tráfico correndo solto, guardas municipais sendo fuzilados. Essa é a realidade de nossa bela e outrora pacata Curitiba. Ou as autoridades abrem os olhos, enquanto é tempo, ou seremos apenas mais uma capital violenta, assim como tantas outras. Não adianta ficarmos com a ilusão de cidade de primeiro mundo. Precisamos abrir os olhos e cobrar atitudes urgentes, antes que seja tarde demais.

João Luís V. Teixeira, advogado

Pedágio

"Ou o pedágio baixa ou ele acaba!" Essa frase que provavelmente elegeu o atual governador do Paraná é um exemplo de como a memória da população é curta. Promessas como essa são ventiladas em todas as eleições e o resultado final é sempre o mesmo: mentira! Então continuamos nós a pagar um valor absurdo de pedágio no Paraná para trafegar em estradas que sequer foram duplicadas. Vai aqui uma dica para a população: ou deixamos de eleger novamente este cidadão ou somos realmente otários.

Marcos R. Machado

Táxi

A Urbs vai determinar o uso da bandeira 2 nos táxis de Curitiba a título de l3.º salário (Gazeta, 1/12). Sabemos que os táxis de Curitiba já não são mais instrumento de trabalho do concessionário condutor, os táxis viraram empresas comerciais que empregam o condutor. Essas empresas, mesmo individuais, são o destinatário da receita arrecadada.

Waldir Assis

Candidatura

O governador Roberto Requião lançou oficialmente nesta terça-feira no Senado Federal, a sua pré-candidatura à Presidência da República em 2010. Caso o PMDB decida lançar candidato próprio e a candidatura de Roberto Requião seja confirmada, essa seria a melhor notícia política para o estado do Paraná nos últimos quinze anos. Explico: quais as chances de Requião ser eleito presidente da República em 2010? Baixíssimas. Também não concorreria e, portanto, não seria eleito senador. E teria de aguardar pelo menos mais dois anos para se candidatar a qualquer cargo eletivo em nível municipal ou quatro anos para cargos eletivos estaduais ou federais. Já imaginaram a tranquilidade que reinaria na política paranaense e nacional, com nosso atual governador aposentado, mesmo que temporariamente?! Vamos trabalhar para o aprimoramento político no Paraná. Lancemos imediatamente a campanha "2010 Requião presidente".

Antonio A. Arthur Filho

Mensalão no DF 1

Esta descoberta de corrupção no Distrito Federal é apenas uma de muitas que virão pela mídia, pela Abin, pela CIA, FBI ou PF.

Alessando Scarpin

Mensalão no DF 2

Infelizmente, dentro deste país, não temos mais partidos políticos, apenas pessoas que se transformam em políticos para encher os bolsos do dinheiro do povo. A falta de impunidade, em geral dentro das falcatruas brasileiras, irá elevar cada vez mais o porcentual de corrupção chegando, com o passar dos anos, a 100%, aí não haverá mais cura, somente vendendo o Brasil. Esta de "quinta economia mundial em poucos anos" não passa de uma frase muito mal colocada para aculturados sonharem.

Dilson Dusi

Mensalão no DF 3

Quando Lula disse não saber nada sobre o mensalão petista, teve todo apoio de sua base governista, dentre ela os caciques do PMDB. Será que agora os petistas vão defender os integrantes da cúpula do PMDB citados como beneficiários ou vão botar fogo e esperar o incêndio? Chegou a hora "da onça beber água" afinal, palavra de político vale até a página dois, quando vale.

Izabel Avallone

Colégio Estadual do Paraná

Estamos vendo no Colégio Estadual do Paraná o resultado da sociedade onde tudo pode. Não há mais limites ou disciplina alguma. Faço uma pergunta: os professores "agrediram" os alunos ou apenas os "contiveram"? Porque isso faz uma grande diferença. Esses alunos devem ser punidos por terem invadido a piscina e os professores nada mais fizeram que o seu trabalho, que não deve ser feito apenas em sala de aula. E se um dos alunos invasores acabasse morrendo afogado? Aí a culpa seria dos professores. Trata-se de uma total inversão de valores, e isso é lamentável.

Marcio Silva, funcionário público

Ortotanásia

Concordo totalmente com a liberação da ortotanásia (Gazeta, 3/12). Não há sentido nenhum em prolongar o sofrimento de um paciente terminal. Entendo, inclusive, como quase uma crueldade ficar mantendo viva e sofrendo uma pessoa em estado terminal. É o respeito à dignidade da pessoa consagrado em nossa Constituição.

Celso Gabriel Zulato

Casal de bispos

A decisão do juiz federal que permitiu que o casal de bispos da Igreja Renascer, Sonia e Estevam Hernandes, prestem serviços comunitários e que proibiu que eles viajem ao exterior (sem autorização da justiça) ou frequentem lugares como lotéricas, haras e hotéis de luxo é uma afronta aos demais cidadãos brasileiros e um incentivo formal para que outros indivíduos com desvios de conduta trilhem o mesmo caminho. Convenhamos, é uma imoralidade, se considerarmos, não o efeito pecuniário do desvio de algumas dezenas de milhares de dólares, como o que foi feito pelo casal de bispos, mas o exemplo e incentivo à prática de delitos neste país. E, vou mais longe, pois estes "pastores" ainda darão desculpas esfarrapadas a seus fiéis seguidores como sendo perseguição política, agruras e missão dada por Deus e outras explicações que os incautos ainda saudarão com um "Aleluia".

Celso O. Izepão

Lei antifumo

Se o hábito de fumar faz tão mal como alardeiam os "ecochatos", se custa tanto ao sistema de saúde do país, se é o motivo do "atraso" secular do Brasil, uma pergunta básica: por que o governo e suas autoridades simplesmente não proíbem a fabricação de cigarros? Resposta simples: muitos empregos diretos e indiretos seriam eliminados, além de impostos bilionários que deixariam de ser arrecadados. Quero ver qual desses "ecochatos" respaldados por políticos oportunistas teriam a coragem de propor a proibição da fabricação de cigarros no Brasil. Fora isso, o resto é conversa.

Engo Mauro T. Friedman

* * * * *

As mensagens devem ser enviadas à Redação com identificação do autor, endereço e telefone.

Em razão de espaço ou compreensão, os textos podem ser resumidos ou editados.

O jornal se reserva, ainda, o direito de publicar ou não as colaborações.

Rua Pedro Ivo, 459 - Centro • Curitiba, PR - CEP 80010-020 • Tel.: (41) 3321-5999 - Fax: (41) 3321-5129.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]