Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Secretária de Saúde fala durante sessão online na Câmara dos Vereadores.
Secretária de Saúde fala durante sessão online na Câmara dos Vereadores.| Foto: Reprodução

Depois de vários hospitais particulares de Curitiba anunciarem o fechamento de seus pronto-atendimentos por conta da alta demanda de pacientes com suspeita de coronavírus, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) decidiu editar um decreto dando prazo de 24 horas para que as instituições privadas apresentem seus planos de contingência para a Covid-19 e ampliem os leitos para atendimento da doença.

Receba as principais notícias do Paraná em seu celular

“Essa é uma cidade em que 40% das pessoas têm plano de saúde. Conversei no domingo à noite com o presidente da Unimed, pedindo uma atuação firme, porque os hospitais [particulares] estão fechando seus PAs e esses pacientes de convênio não têm opção e vêm para o sistema público, aumentando ainda mais a nossa demanda”, afirmou a secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak, em depoimento aos vereadores da cidade na manhã desta quarta-feira (10).

"Eu estou hoje baixando um decreto exigindo que a rede privada nos apresente em 24 horas seu plano de contingência. A rede privada tem um compromisso com aquele cidadão que pagou o plano de saúde, mas estava encontrando barreiras nas portas. Estamos demandando que eles apresentem um plano e ampliem seus leitos para atender essa demanda", completou a secretária.

Nesta terça-feira (9), O Hospital Marcelino Champagnat e o Hospital Nossa Senhora das Graças anunciaram que não vão admitir novos pacientes, temporariamente, por já estarem operando acima da capacidade. Huçulak disse que a situação se repete em outras instituições.

6 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]