i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
CPI

Dono da JMK relata abuso de autoridade em prisão; delegado rebate: “absurdo total”

  • PorCatarina Scortecci
  • 29/10/2019 20:13
CPI da JMK
Depoimento de Aldo Marchini Junior na CPI da JMK, na Assembleia Legislativa do Paraná.| Foto: Dálie Felberg/Alep

Durante depoimento aos membros da “CPI da JMK” na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), o empresário Aldo Marchini Junior, dono da JMK Serviços S.A., alegou ter sido vítima de abusos cometidos pelo delegado-chefe da Divisão de Combate à Corrupção, Alan Flore, responsável pela condução da Operação Peça Chave, deflagrada em maio. O depoimento, de quase duas horas, foi prestado na manhã desta terça-feira (29). O delegado se defendeu: “isso é um absurdo total, estratégia de defesa” (leia aqui).

RECEBA notícias do Paraná pelo WhatsApp

Marchini disse que entraram em sua residência sem explicar os motivos – “não me mostraram os mandados de prisão e de busca e apreensão”. Também disse que o delegado Flore teria logo questionado sobre se havia alguma participação do atual governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior (PSD), e do ex-chefe do Executivo Beto Richa (PSDB), e ainda sugerido que uma eventual delação envolvendo as duas autoridades o tiraria da prisão.

“Não vai falar nada sobre Beto Richa e Ratinho? Não. Porque eu não sei nada. Não tenho o que falar”, teria respondido Marchini, segundo o próprio. “Foi um show a hora que entraram na minha casa”, continuou o empresário. Sem dar detalhes, a defesa de Marchini sustenta que levou o assunto “às autoridades competentes”.

"Estratégia da defesa"

Procurado pela Gazeta do Povo, o delegado Flore rechaçou a acusação: “isso é um absurdo total, estratégia de defesa”. A Polícia Civil também foi procurada pela reportagem e se manifestou através de uma nota: “A Polícia Civil não comenta afirmações que fazem parte da estratégia de defesa” do implicado.

No relato aos parlamentares, Marchini ainda disse que, ao rejeitar a delação, teria sido transferido do Complexo Médico Penal, em Pinhais, para uma cela lotada no 11ª Distrito Policial, “junto com o pessoal do tráfico”. “Uma situação muito difícil para mim. Depois, os meus advogados conseguiram me tirar da cela”, disse.

O delegado Flore sustenta que Marchini “se fazia acompanhar por advogados a todo momento” e que “não existe carceragem na Divisão de Combate à Corrupção, motivo pelo qual não sou eu que determina onde uma pessoa deverá ficar custodiada”.

Por causa dos relatos, os membros da CPI da JMK concordaram em enviar um ofício ao delegado Flore, para questioná-lo sobre o assunto. “Mesmo não sendo objeto da CPI, toda questão que chega ao nosso conhecimento, que fere direitos individuais ou coletivos, temos obrigação de nos manifestarmos”, ponderou o deputado estadual Michele Caputo (PSDB).

Ao longo do depoimento na CPI da Alep, Marchini também negou ter cometido os crimes apontados no inquérito. No mês passado, ele e outras 13 pessoas foram indiciadas no caso, que apura fraude à licitação, fraude na execução de contrato, falsidade ideológica, lavagem de dinheiro e associação criminosa.

A investigação apurou irregularidades no contrato firmado pelo governo do Paraná em 2015 com a empresa JMK, responsável pela contratação de oficinas mecânicas para consertos da frota oficial.

Empresário diz que governo fez pressão para romper o contrato com a JMK

A empresa foi contratada para fazer "o gerenciamento, controle e fornecimento de manutenção preventiva e corretiva da frota oficial de veículos", mas, segundo a Polícia Civil, ela teria fraudado orçamentos de oficinas mecânicas, aumentando o valor do serviço.

“O Deto [órgão do governo do Paraná] recebia três orçamentos, sempre dentro dos parâmetros exigidos pelo contrato”, relatou Marchini, aos membros da CPI.

Sem dar detalhes, Marchini também disse que houve “pressão de todas as formas”, por parte da gestão Ratinho Junior, para “romper o contrato”.

Em nota encaminhada à Gazeta do Povo, a pasta da Administração informou que “o governo do Paraná tem absoluta tranquilidade quanto à lisura do processo que levou ao rompimento do contrato com a empresa JMK” e que “em nenhum momento a atual administração cogitou a renovação da prestação de serviços com esta empresa, exceto por um curto período emergencial”.

Em julho de 2019, com dispensa de licitação, o governo do Paraná contratou a empresa Maxi Frotas para fazer a manutenção e o conserto dos veículos oficiais, em substituição à JMK. O contrato deve seguir até o final do ano, ao custo de até R$ 38.657.957,20.

6 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 6 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

  • M

    Marcos Ctba

    ± 4 dias

    Faz burradas e quer massagem. Procurar fazer negócios com lisura é pra poucos. querem sempre dar uma de esperto, tem que se ferrar mesmo.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • S

      Sérgio Lobo

      ± 4 dias

      o filho deste cidadão, correu em parceria com o Beto Richa há alguns anos atrás nas 500 milhas de Londrina, mas deve ser só coincidência né !!!

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

      • J

        JOSE DE PAULA

        ± 4 dias

        MAS AS PROVAS ELE NÃO APRESENTOU PRA SE INOCENTAR....SE FOI DELATADO E ERA DO TIME DO BETO LIXO DO PARANÁ ...TEM O RABO PRESO SIM.E CRIMINOSO A JUSTIÇA TEM QUE PUNIR SIM...

        Denunciar abuso

        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

        Qual é o problema nesse comentário?

        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

        Confira os Termos de Uso

        • Z

          Zé Mané

          ± 4 dias

          Agora o cara é bonzinho, mas na hora de roubar o estado não precisou de advogados e mimimi. Lugar de Ladrão é na cadeia, e em cela comum sim !

          Denunciar abuso

          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

          Qual é o problema nesse comentário?

          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

          Confira os Termos de Uso

          • J

            Jorge Dias

            ± 4 dias

            Sinto cheiro de que o delegado culpado ou não, vai "ajudar" a mais esta CPI não dar em nada.

            Denunciar abuso

            A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

            Qual é o problema nesse comentário?

            Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

            Confira os Termos de Uso

            1 Respostas
            • J

              Jorge Dias

              ± 4 dias

              É o motivo que precisavam para duvidar.

              Denunciar abuso

              A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

              Qual é o problema nesse comentário?

              Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

              Confira os Termos de Uso

          Fim dos comentários.