Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Sanepar
Sanepar| Foto: JONATHAN CAMPOS / Gazeta do Povo / Arquivo

As startups poderão colaborar com a Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) no enfrentamento da pior estiagem da história. Edital de R$ 1,5 milhão lançado terça-feira (5) vai selecionar soluções inovadoras e sustentáveis no campo de Recursos Hídricos e Clima, mas também em outras três frentes de gestão da Sanepar: Processos Produtivos, Infraestrutura e Relação com Clientes.

Receba pelo WhatsApp as principais notícias do PR

Conforme o edital do programa Sanepar Startup, cada empresa pode solicitar aporte entre R$ 100 mil e R$ 150 mil para o desenvolvimento de soluções a serem implantadas no prazo de um ano. Na primeira fase, serão pré-selecionadas 15 startups. As cinco melhores propostas apresentadas vão implementar suas soluções aos processos da Sanepar. O prazo de inscrição é até 22 de novembro.

O aporte será do caixa da própria Sanepar e da Finep - empresa de fomento à ciência e inovação do Ministério da Ciência e Tecnologia. A Finep também atuará na consultoria dos projetos junto com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

O gerente de Pesquisa e Inovação da Sanepar, Gustavo Possetti, explica que independente da falta de chuva, a companhia busca constantemente a evolução nos seus processos. Mas, admite, o momento do edital veio a calhar pelas dificuldades da crise hídrica. Curitiba e Região Metropolitana estão com racionamento de água desde março de 2020 pela falta de chuva - atualmente, o rodízio é de 36 horas com água nos bairros por 36 horas sem abastecimento.

"Um dos objetivos do edital é justamente encontrar soluções em cenários de mudanças climáticas bruscas, como o que vivemos agora", aponta Possetti. "Buscamos soluções que nos permitam criar antecipadamente estratégias para enfrentarmos mudanças repentinas no clima. E essas ferramentas podem surgir, inclusive, a partir de dados da própria Sanepar rodando em plataformas exclusivas, por exemplo", cita o gerente de Pesquisa e Inovação.

Desafios frente às mudanças climáticas

Segundo Possetti, no campo de Recursos Hídricos e Clima, a Sanepar está propondo dois desafios às startups. O primeiro é melhorar a gestão a partir de dados já existentes. O diretor cita como exemplo a gestão de sistemas isolados de captação de água, em poços distantes e isolados, como processo que as startups podem colaborar. "Em algumas localidades muito distantes não há sinal para implementarmos acompanhamento remoto das condições do poço, por isso ainda temos que enviar os técnicos pessoalmente para averiguações. Então, quem sabe, alguma startup não apresente um sistema para fazermos esse monitoramento por satélite", diz Possetti.

Com os processos que a Sanepar já executa e planifica, Possetti acredita que as empresas inovadoras possam gerar ferramentas para avançar na gestão e análise dos dados. "Essas informações que já temos poderiam rodar em um simulador de efeitos de mudanças climáticas para termos perspectivas em diferentes cenários", ilustra.

Às startups, Possetti afirma que o programa possibilita que os proponentes possam testar, validar e gerar parâmetros para a tecnologia ou solução que desenvolverem. "O edital também possibilita a ampliação de contatos para as startups", enfatiza. Além de acesso à infraestrutura da Sanepar, as statups também poderão fortalecer a rede de contatos no setor de saneamento.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]