i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Pandemia

No Paraná, ao menos 16 mil estudantes migraram para o ensino público em 2020

  • 06/11/2020 21:18
Paraná teve migração de pelo menos 16 mil alunos para o ensino público.
Paraná teve migração de pelo menos 16 mil alunos para o ensino público.| Foto: Jonathan Campos/Arquivo/Gazeta do Povo

Cerca de 16 mil estudantes migraram para a rede pública estadual desde o início da pandemia do novo coronavírus, no início de 2020, até o final do mês passado. O número é da Secretaria de Estado da Educação (Seed) e inclui alunos que vieram de escolas particulares e de instituições de outros estados (Ensino Fundamental e Ensino Médio Regular, Integrado e Normal/Magistério). O número não inclui a modalidade EJA (Educação de Jovens e Adultos), o Ensino Infantil e o Ensino Subsequente (Curso Subsequente ao Ensino Médio).

WhatApp: receba um boletim diário com notícias do Paraná

A Seed informa que o volume de novas matrículas foi considerado atípico pela pasta, mas avalia que a alta migração teria sido gerada mais pela qualidade do ensino público do que por efeitos da crise econômica gerada pela pandemia, quando brasileiros foram obrigados a reduzir despesas.

“A gente viu um grande salto de volume de matrículas, um recorde no Brasil. Mas a gente não acredita que o número vem pela questão financeira, e sim pela questão pedagógica. São os relatos dos pais, das escolas. A estrutura das escolas públicas, a qualidade da educação pública, chamou atenção da sociedade”, disse o secretário da Educação, Renato Feder, durante entrevista à Gazeta do Povo no último dia 28.

Ainda segundo Feder, a rede pública estadual tem condições de abrigar o volume adicional de matrículas. “A gente tem condição de atender. Para rede particular, é um número grande [de migração], mas, para a rede pública, é 2% do nosso universo”, disse ele. A rede pública estadual conta com mais de 1 milhão de alunos.

Em março, a pandemia do novo coronavírus provocou a suspensão das aulas presenciais, tanto nas escolas públicas quanto nas particulares. Só recentemente, a Seed definiu regras para a reabertura das escolas, mas apenas para a realização de atividades extracurriculares, ou seja, não obrigatórias.

Na rede particular, a reabertura para atividades extracurriculares ficou a critério de cada escola. Mas, na rede pública, nem todas reabriram – a Seed tem autorizado uma reabertura gradual, começando pelos colégios localizados em cidades com números mais baixos de casos ativos de pessoas infectadas pelo novo coronavírus.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.