Secretário-chefe da Casa Civil, Guto Silva, vai à Assembleia Legislativa entregar a emenda. Na foto, conversa com o presidente da Casa, Ademar Traiano (PSDB), e  com os deputados estaduais Hussein Bakri (PSD), líder da bancada aliada, e Luiz Claudio Romanelli (PSB), primeiro-secretário da Assembleia Legislativa
Secretário-chefe da Casa Civil, Guto Silva, vai à Assembleia Legislativa entregar a emenda. Na foto, conversa com o presidente da Casa, Ademar Traiano (PSDB), e com os deputados estaduais Hussein Bakri (PSD), líder da bancada aliada, e Luiz Claudio Romanelli (PSB), primeiro-secretário da Assembleia Legislativa| Foto: Alep

O governo do Paraná quer reservar R$ 100 milhões dentro do orçamento previsto para 2021 para eventual aquisição de vacina contra o novo coronavírus. A proposta foi apresentada via emenda ao projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2021, de autoria do Executivo, em trâmite na Assembleia Legislativa. A emenda foi lida nesta segunda-feira (20) na Casa.

As informações mais importantes do Paraná no WhatsApp

“Estamos prevendo R$ 100 milhões para compra de vacinas, já imaginando que ela estará disponível a partir do ano que vem. Ainda não temos uma vacina testada e comprovada no mercado, mas evitamos entraves burocráticos. Assim que tivermos uma resposta definitiva da ciência, o Paraná terá agilidade para adquirir as vacinas”, justificou o secretário-chefe da Casa Civil, Guto Silva (PSD).

A LDO é geralmente aprovada antes do recesso parlamentar de julho. Mas, por causa da pandemia do novo coronavírus, os deputados estaduais suspenderam a folga e o orçamento do próximo ano ainda não entrou em votação. No início do mês, o governo do Paraná já havia apresentado uma emenda à LDO de 2021 relacionada à pandemia do coronavírus. A emenda prevê a suspensão do reajuste previsto nos salários dos servidores (1,5% em janeiro de 2021, referente à data-base de 2019).

1 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]