Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
IPTU, IPVA, luz… Veja os serviços e impostos que podem ser pagos com Pix no Paraná
| Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Os principais impostos e serviços de interesse público já podem ser quitados através do pagamento instantâneo Pix no Paraná. Nas últimas semanas, governo e empresas anunciaram essa possibilidade a seus usuários.

RECEBA notícias de Paraná pelo Whatsapp

Entre os serviços que podem ser pagos com Pix está o Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA). O prazo de pagamento à vista do tributo e a primeira parcela (para quem optou pelo modelo parcelado) para donos de veículos com placas de final 1 e 2 se encerra nesta segunda-feira (17). A taxa de licenciamento veicular (pago também de acordo com o final da placa dos veículos), também poderá ser paga via Pix, indica o Detran.

O sistema também é novidade para pagar o  Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), em Curitiba, e a conta de luz da Copel em todo o Paraná. Por enquanto, a Sanepar não aderiu à tecnologia.

Outra novidade em 2022 é o pagamento de débitos com a Justiça Eleitoral via Pix. A regularização pode ser feita na internet sem a necessidade de ir pessoalmente a um cartório eleitoral ou agência bancária. Os eleitores em débito podem fazer o pagamento com o código obtido no PagTesouro, uma plataforma de recolhimento de valores ao Tesouro Nacional.

As contas de celular foram umas das primeiras a oferecer esse tipo de pagamento. O Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil) assinou contrato com o Banco Central ainda em 2020. Os pagamentos de faturas de celular e a recarga de serviços pré-pagos móveis e fixos podem ser feitos com o Pix.

Como fazer esses pagamentos usando Pix

Para realizar os pagamentos de forma instantânea, o consumidor precisa do QR code, que é o código quadrado na fatura. Dentro do aplicativo do banco, na área do Pix, esse código pode ser escaneado pela câmera do celular.

As contas ainda podem ser pagas através de outros meios, com o código de barras. A diferença é que, com o Pix, o dinheiro cai na hora. Quem transfere e quem recebe pode ser notificado no instante do pagamento, em qualquer momento do dia e todos os dias da semana.

Adesão ao modelo de pagamento

Em pouco mais de um ano, mais de 117 milhões de brasileiros se cadastraram no sistema e mais de 381 milhões de chaves foram criadas. O índice de utilização é de 81%, muito próximo do cartão de débito, que é de 85%.

O meio foi criado pelo Banco Central para acelerar a velocidade de pagamentos e transferências e gerar mais segurança. Para o economista Claudio Shimoyama, o Pix veio para facilitar a vida financeira dos consumidores. “Ele dificulta fraudes e evita o dinheiro de papel. O valor cai na hora na conta do credor, funciona 24 horas e não tem nenhum custo. As pessoas não precisam se deslocar e sobra tempo para outras atividades da vida”, explica.

Como em todo tipo de pagamento, o principal cuidado na hora de usar o Pix é conferir os dados do destinatário e o número da fatura antes de confirmar a transferência. O CPF ou o CNPJ da conta de destino sempre aparecem na última página, antes da confirmação do pagamento.


Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]