i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Atenção

Após morte de macacos, governo alerta para vacinação contra febre amarela no Sul

  • PorGazeta do Povo
  • 15/01/2020 18:50
Aedes aegypti: STF discute constitucionalidade do uso de aeronaves para combater o mosquito.
Ministério da Saúde emite alerta de vacinação contra febre amarela.| Foto: SESA / Divulgação

A morte de macacos fez o Ministério da Saúde emitir um alerta sobre a vacinação contra a febre amarela, nessa quarta-feira (15), para as regiões Sul e Sudeste. Segundo a pasta, no Paraná foram encontrados 34 animais mortos no estado entre julho de 2019 e janeiro de 2020. Também foram achados macacos mortos em São Paulo (3) e Santa Catarina (1).

O alerta se justifica, de acordo com o ministério, pela grande população das duas regiões e pelo baixo número de pessoas vacinadas. A preocupação é que o vírus silvestre da febre amarela não circulava pelo Sul e pelo Sudeste há décadas, o que fez com que a recomendação para vacinação só fosse restabelecida em 2014.

Em 2019, o governo federal anunciou que o Sistema Único de Saúde (SUS) atualizou o Calendário Nacional de Vacinação e incluiu em todas as regiões do Brasil a dose contra a febre amarela.

Desde 1942, o Brasil não registra casos da febre amarela urbana. Porém, o vírus silvestre circula naturalmente entre macacos e mosquitos, sendo transmitido pelo Aedes aegypti, o mesmo que transmite a dengue.

Vacinação

As doses da vacina contra a febre amarela são ofertadas nas Unidades Básicas de Saúde, sem custo. O governo afirma que possui 71 milhões de unidades, o suficiente para abastecer o país todo por três anos.

O público-alvo da vacinação são pessoas entre nove meses e 59 anos de idade que não tenham registro da dose. Além delas, crianças que já tomaram uma dose terão um reforço ao completarem quatro anos.

2 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 2 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • F

    FRANCIELLI MOREZ GUSSO

    ± 16 horas

    Ainda ontem estive na unidade de saúde do Campina do Siqueira para vacinar meu filho de 11 meses contra a febre amarela e eles se negaram a vaciná-lo, informando que os "protocolos" determinavam que deveria ser dada a preferência para a vacina contra o sarampo e que, por esta ser aplicada só às segundas-feiras, eu deveria voltar na semana subsequente. Meu marido e eu argumentamos firmemente no sentido de que não sairíamos dali sem vacinar nosso pequeno contra a febre amarela, segundo orientação do pediatra, e só depois de um tempo de discussão é que aplicaram a dose requerida no bebê. Que "protocolo" é esse? Quais providências a Secretaria Municipal de Saúde vai tomar acerca disso?

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • F

    FRANCIELLI MOREZ GUSSO

    ± 16 horas

    Ainda ontem estive na unidade de saúde do Campina do Siqueira para vacinar meu filho de 11 meses contra a febre amarela e eles se negaram a vaciná-lo, informando que os "protocolos" determinavam que deveria ser dada a preferência para a vacina contra o sarampo e que, por esta ser aplicada só às segundas-feiras, eu deveria voltar na semana subsequente. Meu marido e eu argumentamos firmemente no sentido de que não sairíamos dali sem vacinar nosso pequeno contra a febre amarela, segundo orientação do pediatra, e só depois de um tempo de discussão é que aplicaram a dose requerida no bebê. Que "protocolo" é esse? Quais providências a Secretaria Municipal de Saúde vai tomar acerca disso?

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

Fim dos comentários.