i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Investigação

Operação Quadro Negro: MP denuncia empresário e servidora por corrupção

  • 14/01/2021 16:26
  • Atualizado em 15/01/2021 às 11:01
Obra parada
Uma das obras investigadas pela Quadro Negro: Ribeirão Grande, zona rural de Campina Grande do Sul. Imagem de 2017.| Foto: Albari Rosa/Arquivo/Gazeta do Povo

O Ministério Público do Paraná (MP-PR) denunciou o empresário Eduardo Lopes de Souza e a servidora pública estadual Marilane Aparecida Fermino da Silva pela prática de crimes de organização criminosa e corrupção. Eles foram denunciados no âmbito da Operação Quadro Negro, que investiga o desvio de pelo menos R$ 20 milhões que deveriam ter sido usados em construções e reformas de escolas estaduais no Paraná.

Receba as notícias do Paraná pelo WhatsApp

Segundo informações do MP, a construtora pertencente a Souza tinha em 2015 dez contratos para serviços em escolas da rede estadual, mas deixou de cumprir os prazos para entrega das obras. No entanto, as investigações mostraram que ele recebeu os pagamentos de modo praticamente integral, como se as obras tivessem sido de fato realizadas. As autorizações para os pagamentos indevidos teriam sido facilitadas entre os anos de 2013 e 2015, de acordo com o MP, por Marilane, mediante o recebimento de vantagens indevidas.

As investigações do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) apontam também que os pagamentos irregulares à construtora, assim como a outras empresas, ocorreram porque os engenheiros civis que tinham a responsabilidade por fiscalizar o andamento das obras, emitiram declarações falsas de que as obras estavam em dia.

Os engenheiros teriam atuado sob ordens do então diretor do Departamento de Engenharia, Projetos e Orçamentos da Secretaria de Estado da Educação, Maurício Fanini, principal delator da Quadro Negro, denunciado pelo MP e condenado pela Justiça.

Procurado pela Gazeta do Povo, o advogado Roosevelt Arraes, que representa Marilane, disse que ainda não foi citado e que, portanto, ainda não teve acesso ao conteúdo da denúncia na íntegra. Ele encaminhou a nota a seguir, assinada pela servidora, em que ela nega qualquer ação ilícita e afirma que “não detinha as prerrogativas necessárias a praticar qualquer ato que visasse favorecer alguma pessoa”:

“Em recente reportagem relativa à operação do Ministério Público do Paraná, denominada “Quadro Negro”, vinculou-se o meu nome a ilícitos praticados pela empresa de Eduardo Lopes de Souza, que teria sido favorecida indevidamente através de contratos de serviços em escolas da rede pública estadual do Paraná.

Esclareço que minha atuação na Secretaria de Estado da Educação restringiu-se a realizar atividades burocráticas e rotineiras que eram delegadas por meus superiores hierárquicos. Aliás, na condição de servidora pública subordinada, não detinha as prerrogativas necessárias a praticar qualquer ato que visasse favorecer alguma pessoa ilicitamente.

Afirmo, categoricamente, que não pratiquei qualquer ação ilícita no desempenho de minhas funções, pois sempre pautei minha atuação pelo cumprimento da lei. Logo que for cientificada do conteúdo da acusação contra mim dirigida, apresentarei minha defesa e demonstrarei minha inocência.

Marilane Aparecida Fermino da Silva”

A reportagem tentou contato com a advogada de Souza, Rose Meri Sauaf Baggio, mas ela não atendeu as ligações até o fim da manhã desta sexta-feira (15). O espaço fica aberto para a manifestação da parte.

3 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 3 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

  • R

    roberto novaes jr

    ± 7 horas

    E qual foi a punição que o CREA fez aos falsário?

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • M

      Marcos Ctba

      ± 8 horas

      Sobrou para um empresário e uma funcionária os milhoes desviados. O tico tico vai sair inocente, não sabia de nada, nunca viu nada, em caiobá nada, e a justiça nada.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

      • J

        JOÃOT

        ± 19 horas

        Anderson, você falou, falou e não disse nada! Reportagem sem nenhum valor, quando não se dá nome aos "bois".

        Denunciar abuso

        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

        Qual é o problema nesse comentário?

        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

        Confira os Termos de Uso

        Fim dos comentários.