i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Agricultura

Confissão de propina leva PF a deflagar 4ª fase da Operação Carne Fraca

  • PorKatia Brembatti
  • 01/10/2019 08:13
  • Atualizado em 01/10/2019 às 17:53
policia federal curitiba
| Foto: Gazeta do Povo

A confissão de representantes da empresa BRF Foods levou a Polícia Federal a deflagrar a 4ª fase da Operação Carne Fraca, na manhã desta terça-feira (1º), mirando propinas pagas a pelo menos 60 auditores fiscais agropecuários.

A 1ª Vara Federal de Ponta Grossa autorizou 68 mandados de busca e apreensão em nove estados: Paraná, São Paulo, Santa Catarina, Goiás, Mato Grosso, Pará, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Rio de Janeiro. São 35 cidades, incluindo quatro paranaenses: Curitiba, Ponta Grossa, Castro e Carambeí.

A fase da operação ganhou o nome de Romanos, em referência a passagens bíblicas do livro de mesmo nome que tratam de confissões e justiça. Segundo a Polícia Federal, a empresa do ramo alimentício colaborou espontaneamente com a investigação, relatando casos de corrupção passiva. Teriam sido gastos pelo menos R$ 19 milhões em vantagens indevidas, que iam desde o pagamento em espécie até a contratação de planos de saúde ou por contratos fictícios de prestação de serviços.

A prática teria cessado em 2017, quando foi deflagrada a primeira fase da Carne Fraca, com grande repercussão. A investigação resultou em condenações e também na demissão de envolvidos.

Em coletiva de imprensa na manhã desta terça-feira (1º), a investigação destacou que o foco da nova fase é o combate à corrupção por agentes públicos na fiscalização de empresas de proteína animal. O superintendente da PF no Paraná, Luciano Flores de Lima, fez questão de lembrar que embora a operação tenha recebido críticas no passado, acusada de desestabilizar o mercado, o país hoje se consolidou como principal produtor mundial, num cenário de mais credibilidade.

Os mandados se concentraram nas casas dos auditores, em busca de documentos e celulares que possam reforçar as provas já coletadas durante a investigação e, eventualmente, comprovar que havia cobrança de propinas para outras empresas. Dos 60 envolvidos, 39 ainda estariam na ativa.

Foram feitas buscas também em empresas, acusadas de intermediar contratos fictícios, usados para disfarçar o pagamento de propina. É o caso da União Avícola, ligada ao ex-senador Cidinho Santos (PR). A PF destacou que ele não é investigado no caso. A empresa foi procurada pela reportagem e ainda não retornou ao pedido de posicionamento.

Em nota, a BRF Foods apontou que "tem colaborado com as autoridades para o esclarecimento dos fatos apurados nas investigações". A empresa destacou ainda que "nenhum de seus escritórios ou instalações ou de seus administradores foi alvo, nesta data, de medidas de busca e apreensão no âmbito dessa operação e suas atividades seguem em plena normalidade".

1 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 1 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • A

    ADERVAL C FORSTER

    ± 1 horas

    Tem que privatizar tudo, só tudo, aí diminuem as falcatruas pois as denúncias vem em enchurrada quando há sacanagem no meu dinheiro

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]