Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

Somente neste ano de 2019, quase dez acordos de leniência já foram firmados com empresas na esteira de escândalos de corrupção envolvendo a gestão anterior do governo do Paraná, do tucano Beto Richa. Assim, na prática, dinheiro desviado começa a voltar aos cofres públicos, o que beneficia a gestão atual, de Carlos Massa Ratinho Junior (PSD).

RECEBA as notícias do Paraná pelo messenger do Facebook

No âmbito da Operação Quadro Negro, o Ministério Público do Estado do Paraná (MP-PR) já firmou acordos de leniência com quatro empresas – Village Construções, Atro Construção Civil, TS Construção Civil e MI Construtora de Obras. Juntas, elas prometeram devolver cerca de R$ 3,5 milhões - parte do dinheiro já caiu.

Além disso, o MP-PR também firmou acordo de leniência no âmbito da Operação Rádio Patrulha – com a empresa Ouro Verde Locação e Serviços (ela devolverá R$ 33.186.800,39).

Já os acordos de leniência da Operação Integração, estabelecidos pelo Ministério Público Federal (MPF) com três concessionárias de rodovias, envolvem cifras maiores e já definem o destino do dinheiro – parte vai para obras nas estradas; parte deve bancar a redução da tarifa de pedágio. Assim, embora os acordos de leniência feitos pelo MPF não resultem em dinheiro em caixa para a gestão Ratinho Junior, ele é indiretamente beneficiado.

Mas como a gestão Ratinho Junior vê a novidade e tem se preparado para outros possíveis acordos de leniência? Na edição de número 91 do podcast Pequeno Expediente, as jornalistas Catarina Scortecci e Katia Brembatti conversam sobre o tema a partir de um balanço dos acordos de leniência já firmados até aqui.

O Pequeno Expediente é um podcast semanal sobre política paranaense feito pela equipe de reportagem da Gazeta do Povo. O programa fica disponível no site do jornal e nos principais aplicativos para Apple e Android.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]