i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Podcast

Pequeno Expediente: por que o reajuste de servidores é uma novela?

  • PorGazeta do Povo
  • 14/06/2019 18:36
Pequeno Expediente: por que o reajuste de servidores é uma novela?
| Foto:

A negociação da data-base do funcionalismo do governo do Paraná se tornou um cabo de guerra. Mais uma vez. Pelo quarto ano consecutivo, o governo paranaense ameaça não conceder qualquer reajuste a seus servidores, alegando situação crítica do caixa do estado e respeito à Lei de Responsabilidade Fiscal.

Nesta semana, a situação ganhou um contorno mais tenso. O Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) enviou seu projeto de lei à Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) em que reajusta os salários dos servidores do Judiciário em 4,94%, índice da inflação no período. Isso pressiona o governo a achar alternativa que contemple seus funcionários e promova alguma isonomia entre os poderes.

Na semana que vem, governo define sua proposta em reunião com uma comissão mista, que negocia o reajuste. Enquanto servidores pedem desde uma simples reposição inflacionária ao aumento de 17%, referente ao represamento de três anos, a tendência é que o governador Carlos Massa Ratinho Junior (PSD) se mantenha firme em sua política de ajuste.

No Pequeno Expediente desta semana, os jornalistas João Frey e Carlos Coelho explicam porque a negociação da data-base do funcionalismo tem se tornado uma novela ano após ano e quais os possíveis resultados da negociação.

O Pequeno Expediente é um podcast sobre política paranaense com atualização semanal. Feito pela equipe de reportagem da Gazeta do Povo, o programa fica disponível no site do jornal e nos principais aplicativos para Apple e Android.

2 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 2 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • F

    FABIO MAC

    ± 0 minutos

    HA 4 ANOS TJPR MP TC ALEP tem sua reposição salarial em dia patrocinada pelo achaque ao funcionalismo do executivo. Afinal só existe inflação para os outros poderes que detêm os mais altos salários ? Como ficam os professores e policiais ? Como fica a demagógica campanha eleitora do sr Massa ?

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • D

    delvaloil de frança costa

    ± 1 dias

    O Paraná em matéria de governo é uma lástima, saí governo e entra governo e sempre é a mesma coisa. Os governadores ao assumirem o cargo, a primeira coisa que fazem é nomear e nomear, amigos, conhecidos e até parentes para os cargos mais importantes no governo. E esses cargos tem salários e mordomias de alto custos, esses nomeados por sua vez, só preenchem os cargos da sua secretaria com conhecidos e amigos, tornando-se um circulo vicioso. O governo nomeia o secretário, este por sua vez nomeia seus auxiliares e assim vai, Tudo isso muito das vezes acrescido de uma má administração, o Estado fica inviável, foi o caso do governo Richa, e ai quem paga é o funcionário,o professor.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

Fim dos comentários.