Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Intervenção sobre o projeto original do metrô de Curitiba, de 1969, que já apontava o ônibus como o mais vantajoso em todos os aspectos.
Intervenção sobre o projeto original do metrô de Curitiba, de 1969, que já apontava o ônibus como o mais vantajoso em todos os aspectos.| Foto: Reprodução/Osvalter Urbinati

Uma das principais marcas da Curitiba de hoje ganhou forma, pelo menos no papel, em 1969, quando foi desenhado o primeiro projeto de metrô para a cidade. O estudo preliminar metroviário integrava modais de transporte, principalmente ônibus, e previa o trânsito em vias exclusivas, as canaletas. A proposta do metrô não foi para frente (saiba aqui mais detalhes), mas o trabalho deu as bases para a implantação do sistema de ruas segregadas, que ganhou vida cinco anos depois, em 1974.

Olga Prestes, diretora de Transporte no Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), conta que a ideia de ter vias exclusivas para o transporte coletivo apareceu, pela primeira vez, no plano diretor lançado em 1966. Contudo, aquele documento não especificava como isso seria feito. Foi no projeto do metrô, em 1969, que as linhas ficaram mais claras. Segundo a arquiteta, o estudo preliminar concluiu que, “para criar a cultura de carregamento ao longo dos eixos, primeiro o sistema deveria iniciar com o ônibus”.

Hoje, com o transporte coletivo tão marcado na personalidade de Curitiba, fica difícil imaginar que os grandes veículos usados para levar pessoas não faziam parte da rotina da população. Foi a partir do projeto de 1974, de vias exclusivas, que esse tipo de transporte ganhou força. Olga Prestes comenta ainda que muita gente acha que as canaletas já surgiram com as estações-tubo. Mas há um grande lapso de tempo aí. Somente 15 anos depois é que as plataformas elevadas para embarque, em ligeirinhos, foram incluídas no sistema.

A arquiteta também destaca que a sigla BRT (em inglês, para Bus Rapid Transit) não era comum na época da criação das vias exclusivas. Ela conta que apenas depois que o modelo passou a fazer sucesso em outras cidades, como em Bogotá, na Colômbia, com o Transmilênio, é que se começou a olhar para Curitiba como pioneira mundial na disseminação dessa proposta. Por ter muitas vantagens em relação ao transporte sobre trilhos (principalmente o custo de implantação e a flexibilidade), o ônibus acabou prevalecendo na cidade.

Para conhecer detalhes dos projetos de metrô para Curitiba, ouça o podcast que conta como tudo aconteceu.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]