Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
Ratinho Jr promete transferir em 30 dias todos os presos das delegacias do Paraná
| Foto: André Rodrigues/Gazeta do Povo/Arquivo

O governador Carlos Massa Ratinho Jr (PSD) promete esvaziar todas as carceragens das delegacias no prazo de um mês. "Nos próximos 30 dias vamos zerar todos os presos nas delegacias do estado, colocando esses detentos em um lugar adequado para que possam ser ressocializados e para que cumpram suas penas de maneira respeitosa e digna", prometeu o governador em evento terça-feira (17) em que anunciou a autorização de promoção e progressão dos servidores da segurança pública.

RECEBA NO SEU WHATSAPP NOTÍCIAS DO PARANÁ

Atualmente, as unidades da Polícia Civil abrigam cerca de 800 detentos. Esses presos deverão ser transferidos para o sistema prisional nos próximos 30 dias, quando a Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesp) pretende entregar cinco dos 14 novos presídios anunciados na gestão Beto Richa (PSDB) que serão concluídos na atual gestão. As penitenciárias que serão inauguradas mês que vem são em Ponta Grossa, Guaíra, Foz do Iguaçu, Londrina e Piraquara.

Ratinho Jr lembrou que ao assumir o governo em 2019 o Paraná tinha o maior número de presos em delegacias no Brasil, 12 mil no total. Com a entrega dos cinco presídios em setembro, serão abertas 3.750 novas vagas no sistema prisional.

A longa permanência de presos nas carceragens das delegacias, que por lei deveriam ser ocupadas apenas transitoriamente até o preso ser absorvido no sistema prisional, atrapalha o trabalho da Polícia Civil. Há anos, muitos policiais não conseguem dar conta do volume de investigações porque acabam tendo que cuidar dos presos ao invés de cumprir inquéritos.

" Ter presos nas delegacias obrigava nossos policiais civis a fazer serviço de carceragem, sem oportunidade de fazer investigações, fazer operações. Travava uma série de andamentos na Secretaria de Segurança Pública", explica o governador. "E quando não há investigação, aumenta a bandidagem nas ruas porque o bandido se sente impune, acha que ninguém vai pegar ele, ninguém vai investigar. Aí a criminalidade continua, em um ciclo vicioso", conclui Ratinho Jr.

Fim da superlotação?

Segundo a Sesp, as obras dos cinco presídios a serem entregues em setembro já estão 85% concluídas. Cada um terá capacidade de manter 750 detentos. totalizando 3.750 novas vagas.

Segundo o secretário estadual de Segurança Pública, coronel Rômulo Martins Soares, as novas penitenciárias devem resolver o problema de superlotação nas delegacias e no próprio sistema prisional. "Serão quase 4 mil novas vagas em setembro, com penitenciárias adequadas, organizadas. Aquela ideia de superlotação de presos vai aos poucos deixar de existir", promete o secretário de segurança.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]