i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Avanço da pandemia

Secretária de Saúde rebate MP sobre bandeiras em Curitiba: “parâmetros claros”

  • PorMarcos Xavier Vicente
  • 25/11/2020 13:13
Secretária de Saúde de Curitiba, Márcia Huçulak.
Secretária de Saúde de Curitiba, Márcia Huçulak.| Foto: LineuFilho / Tribuna do Paraná

A secretária municipal de Saúde de Curitiba, Márcia Huçulak, comentou nesta quarta-feira (25) a ação do Ministério Público do Paraná (MP) que questiona os critérios para definir as bandeiras na pandemia de coronavírus. Segunda-feira (23), a Promotoria de Proteção à Saúde Pública do MP pediu para antecipar o julgamento do processo aberto em agosto, logo após a prefeitura flexibilizar diversas atividades com mudança da bandeira laranja para amarela.

Receba as principais notícias do Paraná no seu WhatsApp

Na ação, a promotoria pede à prefeitura que “oriente-se, paute-se e execute posturas a partir de matriz de risco adequada à prevenção e ao enfrentamento da Covid-19”. Sexta-feira (20), a prefeitura de Curitiba estendeu por mais sete dias a bandeira amarela, que terá a permanência reavaliada na próxima sexta (27).

“Os parâmetros são claros, matemáticos e publicados diariamente. É uma conta matemática. Felizmente, ninguém aqui tem o poder de puxar a bandeira para lá ou para cá”, enfatizou a secretária de Saúde em entrevista ao Meio Dia Paraná da RPC nesta quarta. “Essa é a terceira ação do Ministério Público [em relação às bandeiras em Curitiba]. A Justiça já não aceitou as outras duas porque os parâmetros são claros”, reforça Márcia Huçulak.

Curitiba chegou terça-feira (24) a 90% de ocupação dos leitos de UTI exclusivos de Covid-19. Semana passada, quando a ocupação das UTIS estava em 87%, a prefeitura suspendeu cirurgias eletivas – sem urgência – em 12 hospitais do SUS justamente para reforçar os leitos de coronavírus, decisão que foi estendida para os hospitais particulares nesta quarta-feira, após três unidades particulares colapsarem.

Em entrevista à Gazeta do Povo quinta-feira (18), o diretor do Centro de Epidemiologia da prefeitura, Alcides Oliveira, ressaltou que a reativação de leitos exclusivos para pacientes com coronavírus é o que mais impactou para que a bandeira não fosse mudada de amarela para laranja na última sexta.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.